quinta-feira, 19 de abril de 2018

Turquia: um destino para todos os gostos


As múltiplas faces da Turquia a transformam em um destino único: praias belíssimas, ruínas de impérios antigos e grandes cidades cosmopolitas revelam um mosaico cultural surpreendente a um preço acessível para o turista brasileiro.

A Abreu, operadora de turismo especialista em levar turistas aos melhores destinos ao redor do globo, apresenta seis motivos que seduzem o brasileiro neste país que já conquistou os viajantes, sejam eles novatos ou experientes.


1- Culinária surpreendente:

Cada região da Turquia tem sua própria cultura culinária, incluindo ingredientes distintos e modos de preparo peculiares. A cozinha turca vai muito além dos saborosos kebabs e conta com frutos do mar frescos servidos nas mais variadas apresentações, sobremesas deliciosas e cafés da manhã que mais se assemelham a banquetes de um líder do império otomano.

2- Praias paradisíacas:
A Turquia possui algumas das mais belas praias da Europa, com opções que vão desde praias isoladas, que mais parecem cenário de filmes de Hollywood, até praias badaladas, com infraestrutura completa. Ou seja, uma infinidade de alternativas que passam pelo Mar Mediterrâneo e pelo Mar Egeu.


3- Banhos turcos:

A experiência do “banho turco”, mais conhecida como hamam, é a atividade favorita entre muitos visitantes. O ritual é antigo e teve seu início nos primórdios da civilização turca, quando os mercadores chegavam cansados depois de uma longa jornada de trabalho. A experiência de hamam envolve sauna, massagem e um banho relaxante com espuma.

4- Sítios arqueológicos:

Testemunha de muitos impérios e civilizações, a Turquia tem uma quantidade notável de sítios arqueológicos espalhados por todo o país. Dos palácios e mesquitas de Istambul às ruínas de Éfeso e cidades subterrâneas da Capadócia, a Turquia é um paraíso para os entusiastas da arqueologia e da história.


5- Excelentes museus:

Com tanta história, a Turquia também tem muitos museus fantásticos que preservam descobertas de sítios arqueológicos em todo o país. Desde o maior museu de mosaicos do mundo em Gaziantep, até os museus do Palácio do Império Otomano de Istambul, há muito o que visitar.



6- Viagem econômica:

Em comparação aos outros destinos europeus, a Turquia é uma opção extremamente econômica: os pacotes exclusivos da Abreu para Turquia incluem café da manhã, almoço e jantar em quase todos os dias do programa.


Fonte: Luciana Paulino

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Cunha realiza 18ª edição da Festa do Pinhão


Celebrar a natureza, a tradição e a cultura local, ao som de boa música regional. É com esse propósito que a Estância Climática de Cunha realiza a 18ª Festa do Pinhão, de 20 de abril a 6 de maio, e no feriado de 1º de maio, sempre nos finais de semana.

Para este ano, a Secretaria Municipal de Turismo e Cultura da cidade do Vale do Paraíba, no interior de São Paulo, preparou uma extensa programação musical, com apresentações de artistas de variados estilos, como MPB, sertanejo, moda de viola, entre outros.

Mas o destaque é a valorização dos artistas da cidade e da região, a exemplo do cunhense Kleber Oliveira, que tem um programa de música caipira na TV Aparecida e levará seu show para o palco de Cunha no primeiro sábado do evento.

Para dar mais sabor à festa, serão montadas as tradicionais barracas conduzidas por quituteiras e produtores da região que oferecem diferentes pratos doces e salgados feitos com pinhão. Os visitantes poderão saborear caldinho, canjiquinha, farofa, bolos, truta e cordeiro com pinhão e muitas outras iguarias feitas com o produto.

Esses sabores típicos da cidade também estarão em destaque nos restaurantes, cujos chefs a cada ano inovam para oferecer pratos diferenciados com o produto nos cardápios.


- Exposição e cultura do Pinhão:

Paralelamente à festa, o Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleo Cunha promove a 10ª Exposição Pinheiro Brasileiro, de 21 de abril ao dia 31 de julho. Na abertura da mostra, às 10 horas, haverá a premiação do Concurso de Redação, Frases e Desenhos, promovido nas escolas municipais da cidade; apresentações dos Violeiros de Cunha e do Grupo de Chorinho; atividades para crianças e degustação de pratos elaborados com pinhão.

O pinhão é o fruto da araucária, ou pinheiro brasileiro, uma das espécies mais antigas da flora brasileira. O amadurecimento do pinhão é entre os meses de março e abril e sua comercialização só é permitida a partir de 15 de abril de cada ano. Essa data foi estabelecida em função da necessidade de preservação da espécie e também com a finalidade de garantir a alimentação da fauna silvestre existente nas regiões que apresentam incidência desse tipo de floresta nativa.

Em Cunha, a colheita do pinhão ocorre há muitos anos e representa um significativo incremento para a economia local e a geração de renda extra para os produtores rurais.

- Sobre a cidade:


Montanhas, vales, paisagem exuberante, sossego, gastronomia, artesanato. Isso e muito mais é o que o turista encontra na Estância Climática de Cunha, cidade que traz em suas ruas marcas da história do Brasil, com diversas construções antigas. Algumas delas tombadas pelo Patrimônio Histórico, incluindo a Igreja da Matriz, que foi construída em 1731 e está passando por restauração.

Essas evidências históricas remetem à época em que Cunha era rota dos tropeiros que percorriam a Estrada Real, levando o ouro de Minas Gerais até o porto de Paraty e de lá para o Rio de Janeiro e Portugal.

Outra herança tornou a cidade o maior polo da cerâmica de alta temperatura da América Latina. Isso porque, na década de 1970, ceramistas se instalaram na cidade, para desenvolver seus trabalhos utilizando fornos a lenha, que utilizam a técnica de queima chamada noborigama, e ao longo desses 40 anos formaram novas gerações de ceramistas e atraíram muitos artistas que empregam outras técnicas e estilos.

A estância oferece também diversas opções de turismo rural, que inclui fazendas de cultivo de cogumelo shitake e de truta, apiários, queijarias, pesqueiros e alambiques. A cerveja artesanal é outro produto que ganha espaço na cidade e é possível visitar as cervejarias e degustar a bebida.

Nos últimos anos, Cunha vem se destacando também com o plantio de lavanda, que atrai muitos turistas. Além da plantação propriamente dita é extraído o óleo da lavanda, com o qual se produz sabonetes, aromatizantes e outros itens derivados da matéria-prima.

Há ainda as belezas naturais que o lugar oferece, como as cachoeiras do Pimenta, do Desterro e do Barracão. Além da Pedra da Macela, que em seu pico, a 1.840 metros de altitude, é possível apreciar a paisagem deslumbrante que inclui Paraty, a baía da Ilha Grande e parte de Angra dos Reis e todas as montanhas e serras que ficam no entorno de Cunha.

Entre os destaques está o Parque Estadual da Serra do Mar – Núcleo Cunha, onde o visitante também pode se banhar em suas cachoeiras e percorrer suas trilhas guiadas por monitores. São três ao todo, cada uma com um grau de dificuldade.

Quem visitar a cidade pode escolher entre as mais de 60 pousadas para se hospedar, que oferecem diversificadas opções e níveis de acomodação e preço. Algumas delas estão entre a melhores da América do Sul, segundo avaliações de sites de viagem.

- Como chegar:

Cunha está a 230 km da capital paulista. O visitante deve seguir pela Rodovia Presidente Dutra (BR-116) até a Saída 65, em Guaratinguetá. A partir dali, seguir pela Rodovia Paulo Virgínio (SP-171) até Cunha.

Quem for de ônibus, também deve ir até Guaratinguetá. Na rodoviária há ônibus intermunicipal até Cunha. Os horários das partidas devem ser checados no local.


Confira a programação completa da 18ª Festa do Pinhão no site: http://www.cunha.sp.gov.br/veja-aqui-a-programacao-oficial-da-18a-festa-do-pinhao-de-cunha-e-nao-perca-os-shows-e-as-delicias-culinarias-da-praca-de-alimentacao-8725/


Fonte:Isabel Silvares e Angela Lereno

terça-feira, 17 de abril de 2018

Novo cadastro nacional de empresas do setor de turismo reduz burocracia de olho no aumento da formalização do setor



Depois de ser lançado nas cinco regiões do país, o Cadastur 3.0 já pode ser utilizado pelo setor turístico de todo o país. A ferramenta é mais um passo dado pelo Ministério do Turismo em busca da formalização total dos prestadores de serviço turísticos. O sistema totalmente informatizados, sem a necessidade de envio de documentos em papel, e com uma interface intuitiva e interligada ao banco de dados da Receita Federal. A novidade desburocratiza e agiliza o processo de cadastro dos prestadores de serviço.

“Estamos muito comprometidos em garantir a formalização do setor turístico que é tão importante para a economia brasileira. Prova disso é que estivemos desde o início do ano em todas as regiões do país para apresentar o novo Cadastur e treinar os nossos parceiros nas secretarias, mostrando todas as facilidades do novo sistema, além de sensibilizar sobre a importância do cadastro para as todas as atividades determinadas pela Lei do Turismo”, comentou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

De acordo com a legislação vigente, o cadastro é obrigatório para meios de hospedagem, agência de turismo, parque temático, acampamento turístico, organizadora de eventos, guia de turismo e transportadora turística. O nome Cadastur também modernizou o certificado que agora contará com a tecnologia de QR Code com todas as informações dos cadastrados. Além disso, os veículos que realizam transporte turístico receberão também novos selos com a mesma tecnologia.

- Fiscalização: 

Paralelamente ao trabalho de lançamento do Cadastur, o Ministério do Turismo tem realizado uma operação de fiscalização dos meios de hospedagem em funcionamento em todas as capitais do Brasil denominada “Verão Legal 2018”. A ideia é finalizar as visitas em abril. Desde setembro de 2017, a equipe de fiscais da Pasta já percorreu Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ), Boa Vista (RR), Maceió (AL), João Pessoa (PB), Palmas (TO), Aracaju (SE), Teresina (PI), Fortaleza (CE), Vitória (ES), São Luís (MA), Cuiabá (MT), Goiânia (GO), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Natal (RN), Salvador (BA) e Recife (PE).

“Estamos extremamente felizes com o sucesso desse trabalho que vem sendo realizado pelo ministério. Trata-se de um avanço em busca da legalidade do setor e que tem contado com a parceria dos órgãos de turismo locais e o apoio do próprio empresariado. Certamente sairemos fortalecidos desta ação e o turista poderá usufruir de mais segurança ao contratar um serviço turístico”, afirmou a secretária nacional de Qualificação e Promoção do Turismo, Teté Bezerra.

O trabalho de fiscalização já tem surtido efeitos nos números do Cadastur. Em dezembro de 2017 foram identificados 64.591 cadastros, um crescimento de 14% em relação ao mesmo período do ano anterior. Quem for flagrado com cadastro fora de validade será considerado ilegal e pode ser autuado pelos órgãos de controle. E, caso não regularize sua situação, ainda pode ser penalizado com uma multa que pode chegar a R$ 854 mil.


Fonte:MTur / Lívia Nascimento

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Exposição sobre peixes do Pantanal busca conscientizar população para a importância da conservação das espécies


Com foco nos peixes da maior área interna alagável do mundo, a exposição “Descobrindo os peixes do Pantanal”, que faz parte da Estação Natureza Pantanal, segue até o dia 27 de abril, na cidade de Corumbá (MS). A mostra, promovida pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, em parceria com a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) e Embrapa Pantanal, apresenta aos visitantes o padrão comportamental das espécies e fenômenos ocorridos na região. 

Ao todo são retratadas 25 espécies de peixes encontradas no bioma, sendo algumas delas in vitro, além de fotos, vídeos e efeitos sonoros que buscam enriquecer a experiência dos visitantes. São apresentados também dois importantes fenômenos que ocorrem na região: a decoada e a piracema.

A decoada é um fenômeno ligado aos períodos de cheia e seca dos rios, entre os meses de fevereiro e maio, quando as águas recuam, a vegetação aquática morre e a terrestre se recompõe. Por conta disso, durante a próxima cheia, a água avança novamente sobre a vegetação, as bactérias fazem o processo de decomposição da matéria orgânica e, conforme o nível de inundação sobe, esse material chega até os córregos, lagos e rios. Dessa forma, o oxigênio presente na água é consumido pela matéria orgânica em decomposição e passa a dificultar a respiração dos peixes, que sobem à superfície em busca de ar, tornando-se assim presas vulneráveis para predadores e pescadores.


Já a piracema consiste no movimento dos peixes que nadam rio acima durante o período reprodutivo. O esforço físico por nadar contra a correnteza faz com que os peixes queimem a gordura, o que estimula a produção dos hormônios responsáveis pelo amadurecimento dos órgãos sexuais. Durante o fenômeno, que ocorre entre os meses de novembro e fevereiro, a pesca é proibida por lei, devido à vulnerabilidade dos peixes.

“Nós optamos por realizar essa exposição nos meses de março e abril porque é o momento de encontro dos dois fenômenos, aproveitando assim para levar à população informação sobre eles; afinal, conhecer é um passo essencial para valorizar a natureza pantaneira e, consequentemente, conservá-la”, explica a coordenadora da Estação Natureza Pantanal, Thaís Machado. 

“Nós esperamos, por meio da mostra, esclarecer e conscientizar os visitantes para a importância da conservação do habitat e das espécies. É importante ressaltar que são fenômenos normais, mas que tornam os animais vulneráveis a impactos causados pelos seres humanos”, finaliza Thaís.


- Serviço:

- Exposição “Descobrindo os peixes do Pantanal”

- Local: Estação Natureza Pantanal, na Ladeira José Bonifácio, 150 – Centro, Corumbá - MS

- Data: Até 27 de abril

- Horários: Segunda a sexta-feira, as 09h às 11h20 e das 14h às 17h20

- Valor: Entrada inteira: R$3,00 / Meia entrada: R$1,50 / Entrada para moradores da região: R$1,00



Fonte: Fundação Grupo Boticário