quinta-feira, 23 de março de 2017

Melbourne sediará o prêmio “Os 50 Melhores Restaurante do Mundo”



Após o enorme sucesso em Nova York, em 2016, o prêmio “Os 50 Melhores Restaurante do Mundo” anuncia que sua edição de 2017 será em 05 de abril. Realizado no Royal Exhibition Building, em Melbourne, o evento será também a comemoração do 15º aniversário da premiação.

Em parceria com o Tourism Australia, o evento contará com a presença de chefs renomados no mundo todo, especialistas em restaurantes, sommeliers, imprensa e influenciadores, celebrando o melhor da cozinha global. A programação do evento em geral, que vai de 01 a 07 de abril, irá representar a excelente variedade australiana em comida e vinho para um público internacional de profissionais da indústria e amantes da gastronomia.



William Drew, editor de “Os 50 Melhores Restaurantes do Mundo”, diz que "depois de 14 anos realizando o evento em Londres, decidimos leva-lo para um tour global, começando em Nova York em junho de 2016. Não poderíamos estar mais entusiasmados com Melbourne, uma das melhores cidades gastronômicas do mundo. 


Em abril do próximo ano, a Austrália será sem dúvida o local ideal para os apaixonados por boa comida e restaurantes inspiradores. Em parceria com o Tourism Australia, iremos aproveitar a oportunidade para destacar produtos únicos do país, seus vinhos extraordinários e seu excitante cenário culinário".

Já John O'Sullivan, diretor geral do Tourism Australia, afirma que os prêmios e programação do evento formam uma extensão natural de sua campanha Restaurant Austrália. "Grandes experiências culinárias são feitas para e por pessoas, produtos e lugares, e com a confirmação do Royal Exhibition Building, acredito que encontramos o local perfeito para sediar uma reunião global de tamanho prestígio da cultura de alimentos e vinho".




Peter Bingeman, chefe executivo de Visit Victoria, diz que a "cultura de comida, bar e café de Melbourne tem uma profundidade e diversidade de décadas do processo de migração para Victoria, juntamente com um farto apetite para abraçar o novo e o audacioso. Nosso produto é inigualável, nosso talento é pioneiro, e as nossas paisagens naturais e centros urbanos fornecem uma base para experiências culinárias inesquecíveis - de ruas e casas de café, a vinhas deslumbrantes e jantares regionais".


“Os 50 Melhores Restaurantes do Mundo” é o maior encontro gastronômico anual, que une chefs e especialistas em restaurantes de todo o planeta para comemorar e colaborar. Wine Australia irá fornecer vinhos do mais alto calibre ao longo do evento, incluindo o tradicional Chefs’ Feast (uma reunião privada e única com os melhores talentos, que acontece em 4 de abril), bem como outras ativações.



O CEO da Wine Australia, Andreas Clark, diz que "o evento é uma excelente oportunidade para as pessoas mais influentes do ramo experimentarem o vinho fino que a Austrália produz. Estamos muito animados para mostrar a inovação, qualidade, diversidade e sabor dos conhecidos vinhos australianos”.
                    
Um dos encontros gourmet mais consagrados da Austrália, Melbourne Food and Wine Festival, já concordou em alinhar suas datas com as do evento no ano que vem. O Festival, em seu 25º ano, acontece de 31 março a 9 abril. Com isso, será possível incluir uma série de Master Classes celebrando os 50 melhores restaurantes do mundo com chefs ilustres, em 1º e 2 de abril.

Etihad Airways e QT Hotel Melbourne também foram confirmados como parceiros, ajudando com transporte e hospedagem. Como uma das principais companhias aéreas do mundo, Etihad vai garantir que os chefs viajem para a Austrália com conforto e estilo. Já o recém-inaugurado hotel boutique QT Melbourne irá acomodá-los durante sua estadia na cidade.

            

"O hotel QT Melbourne é inspirado na tendência global de viagens contemporâneas e traz de volta o grande restaurante do hotel. Através da nossa parceria com a Tourism Australia mostraremos a força da nossa filosofia em comida e bebida, que inclui nossa QT Forager, jardins panorâmicos, colmeias de abelhas e equipamentos de cozinha inovadores", afirma David Seargeant, Group Managing Director, Event Hospitality & Entertainment.


A mudança do Prêmio para a Austrália coincide com o desejo do país em destacar a qualidade de sua gastronomia e vinhos para o mundo. Desde o início da campanha Restaurant Austrália, do Tourism Australia, em dezembro de 2013, os gastos internacionais em comida e vinho aumentaram em mais de US$ 1 bilhão (25%). Um em cada cinco dólares gastos pelos visitantes internacionais na Austrália são investidos em experiências de alimentos e vinhos.



-
Como a lista dos “50 Melhores Restaurantes do Mundo” é compilada:

A lista é criada a partir dos votos da Academia “Os 50 Melhores Restaurantes do Mundo”, um influente grupo de mais de 1.000 líderes internacionais da área. A Academia é composta por 26 regiões diferentes do globo, cada uma com 40 membros, incluindo um presidente. Cada membro pode lançar 10 votos e, destes 10, pelo menos quatro votos devem reconhecer restaurantes fora de sua própria região.

O painel em cada região é composto por escritores e críticos gastronômicos, chefs, especialistas em restaurante e “gastrônomos” altamente reconhecidos. Membros listam suas escolhas em ordem de preferência, com base em suas melhores experiências ao longo dos 18 meses anteriores. Não há check-list pré-determinado de critérios, mas existem regras estritas de votação.

A lista é julgada independentemente por consultores de serviços profissionais da Deloitte. Esta adjudicação garante que a integridade e autenticidade do processo de votação, assim como a lista resultante, sejam protegidos.



Fonte: Rafaela Yamaki

Projeto de manutenção de praias públicas é assinado através de acordo de cooperação


Foi assinado no dia 21 de Março, um acordo de cooperação com validade de cinco anos para a melhoria e manutenção de forma sustentável de oito praias públicas de Curaçao. O protocolo foi assinado pelo Ministério do Desenvolvimento Econômico, Ministério da Saúde Pública, Meio Ambiente e Natureza, Ministério do Desenvolvimento Social, Trabalho e Bem-Estar, Ministério de Tráfego, Transportes e Planejamento do Territorial e CTB (Curaçao Tourist Board). 

O projeto envolve a formação de um comitê composto por representantes dos ministérios acima mencionados e do CTB, para trabalhar em conjunto na execução de várias tarefas relacionadas com a melhoria e manutenção de oito praias: Caracasbaai, Daaibooi, Sta. Cruz, Jeremi, Kenepa Chikí, Praia Fòrti, Playa Lagun e Kenepa Grandi. 

As praias citadas fazem parte das mais de 35 praias de Curaçao, que conta com algumas das mais belas do mundo como Kenepa Grandi que está na quarta posição da lista do USA Today, que classificou as 10 melhores praias do Caribe. Já a praia de Cas Abao está entre as 21 melhores praias do mundo segundo lista criada pela National Geographic, e esses são apenas 2 exemplos dentre quase 40 praias que integram a ilha de Curaçao.

Como parte das atividades de formulação do projeto, procurou-se, em primeiro lugar, avaliar a situação existente, o que levou a uma lista das áreas que necessitavam de melhorias. São elas: limpeza, controle social, redução da criminalidade, segurança dos visitantes locais e estrangeiros nas praias, melhores sanitários, chuveiros e estruturas de estacionamentos, adaptação da infraestrutura para idosos e outros com necessidades especiais, criação de empregos para a população local, e mais entretenimento nas praias. 

Uma parte muito importante na execução do projeto é o aspecto social; Treinamento será fornecido aos moradores para que trabalhem nessas praias. O projeto criará novos postos de trabalho e também oportunidades empresariais.


A execução deste projeto deverá levar a uma transformação total da experiência oferecida nestas praias, o que sem dúvida terá um impacto positivo no produto turístico da ilha como um todo.


Fonte: Leonardo Libman Nascimento

quarta-feira, 22 de março de 2017

Dia 22 de março é o Dia Mundial da Água - 10 dicas para incluir a água no seu dia a dia!


Apesar de saber que tomar água é fundamental para manter a saúde em dia, especialmente no verão, quando enfrentamos altas temperaturas e um clima mais seco, algumas pessoas têm dificuldade de ingerir o líquido na quantidade adequada e, por isso, deixam de aproveitar seus benefícios.

 - 
Confira:

1) Mais importante que contar quantos copos de água tomamos, devemos ficar atentos aos sinais de sede. É importante sempre tomar água ao sentir sede, pois é um sinal que nosso corpo nos envia de que precisa de líquidos.

2) Beber água diminui a retenção de líquidos e contribui para a redução do peso. Além disso, de acordo com um levantamento da Universidade Virgínia Tech, nos Estados Unidos, a ingestão de dois a três copos de água antes das principais refeições auxilia no controle do apetite.

3) A água também ajuda a regular nossa temperatura corporal por meio do suor, mantendo nossa temperatura estável, mesmo com variações climáticas extremas.

4) O ser humano consegue sobreviver sem comida por três semanas; sem água, porém, morreríamos depois de apenas três dias, pois 75% do corpo humano é composto por água.

5) A água mantém equilibrados os níveis de concentração de substâncias no sangue, como o sódio e o potássio, fundamentais para a contração muscular.

6) A ingestão de líquidos ajuda a manter a pele hidratada de dentro para fora, deixando-a mais vigorosa e com brilho. O ideal é ingerir de sete a oito copos por dia, em horários estratégicos para ir se acostumando, como, por exemplo, meia hora antes do café da manhã e antes das demais refeições. De quebra, esse costume também elimina as toxinas do corpo.

7) A água não deve mesmo ter um gosto específico, mas pode ter uma sutil diferença de percepção. Isso ocorre porque ela passa por caminhos em que raspa minerais das rochas e do solo e a concentração desses minerais, o PH e a temperatura são variáveis que alteram o sabor da água. Se o sabor não te agradar, existem formas simples de mudá-lo. Uma dica é acrescentar três rodelas de pepino, cinco folhas de hortelã e um pedaço de gengibre em um litro de água. De quebra, você ainda tem uma bebida detox e que acelera o metabolismo.

8) Outra boa dica é para quem prefere as frutas: misture um litro de água com cinco morangos cortados ao meio, duas rodelas de limão siciliano e três folhas de manjericão. A mistura é refrescante e muito perfumada, deixando o ato de beber água uma delícia!

9) Beber água ajuda a regular o intestino, pois o sistema digestivo necessita de uma boa quantidade de água para fazer a digestão de forma adequada. Com frequência, beber água resolve os problemas de acidez estomacal e a água, em conjunto com as fibras, pode curar a prisão de ventre que, frequentemente, também é consequência da desidratação.

10) Assim como fazemos com os alimentos, se estiver fora de casa, fique atento à qualidade da água. Veja qual a procedência da mesma, se ela foi devidamente purificada antes de ser servida e, mesmo se tiver sido, cheque se não houve contaminação posterior, como garrafas e copos sujos, por exemplo. Uma dica é sempre carregar consigo uma squeeze com água purificada.

Além dessas dicas, é importante também ficar atento à qualidade da água, pois a água contaminada pode causar doenças. Muitas vezes, mesmo a água tratada pode conter impurezas, como ferrugem e partículas como areia – sem contar o cloro usado no tratamento, que deixa um sabor desagradável. Todos esses problemas podem ser resolvidos com um purificador de água de qualidade. A linha de purificadores da IBBL entrega alta tecnologia em filtração.

Fonte: IBBL, empresa fabricante de purificadores em parceria com a nutricionista Roberta Cassani

Água invisível: como a produção de alimentos – e até de celulares – pode reduzir ainda mais as reservas de água


Hoje, vivemos novas condições hídricas. Lugares com regimes regulares de chuva passaram a ter períodos de estiagem. No Brasil, as atuais crises hídricas que o Nordeste brasileiro e Brasília (DF) vivem, sem contar com a de São Paulo em 2015, associadas a campanhas de conscientização, incentivaram o consumidor a usar a água com mais moderação. 

Porém, de uma forma geral, quando se pensa em quanto de água é consumida ao longo do dia, é comum lembrarmos apenas das ações cotidianas, como tomar banho, preparar a comida, escovar os dentes, lavar o carro ou as roupas. 

Em geral, não nos ocorre que existe também o “gasto invisível”, que é a quantidade de água usada durante a produção de praticamente tudo o que é consumido. É fundamental ter consciência sobre esse consumo invisível de água, que é tão ou até mesmo mais importante quanto os gestos de consumo da água que a gente vê.

Segundo dados da ONU, cada pessoa consome diariamente de 2 a 5 mil litros de “água invisível” contida nos alimentos. Para chegar a esses números, os pesquisadores analisam toda a cadeia de produção de um bem de consumo, com cálculos baseados em padrões que variam conforme os processos e a região de cada produtor. Por esses cálculos, por exemplo, uma única maçã, por exemplo, consome 125 litros de água para ser produzida, segundo a Waterfootprint, rede multidisciplinar de pesquisadores e empresas que estudam o consumo de água nos processos produtivos.

A pecuária também é responsável por um consumo alto de água. Para cada quilo de carne bovina, são gastos mais de 15 mil litros de água. Essa quantidade se refere à água e alimentação utilizadas para o gado até que ele atinja a maturidade e também a tudo que é gasto no processo do frigorífico, como limpeza e resfriamento do ambiente. 
E a “água invisível” não está presente apenas na produção de alimentos. 

De acordo com pesquisa da Mind your Step, produzida pela Trucost a pedido da Friends of the Earth, entidade de proteção ao meio ambiente, a produção de um único smartphone consome cerca de 12.760 litros de água, valor equivalente à quantidade transportada por um caminhão-pipa médio.

Um item básico no guarda-roupa de todo brasileiro é a calça jeans. Para produzir uma simples unidade são consumidos 10.850 litros de água durante toda a cadeia de produção – quantidade suficiente para suprir o consumo de uma residência média no Brasil por mais de três meses. Essa quantidade contabiliza desde a água gasta na irrigação do algodoeiro, material usado para fabricar o tecido, até a água da confecção da peça.

“Melhorar os processos de produção para conseguir usar a água de forma mais eficiente é um dever, e é certamente de interesse, das empresas. Do ponto de vista empresarial, é preocupante ser dependente desse recurso que é cada dia mais escasso. E essa preocupação não deve ser só das empresas. As políticas públicas devem contribuir para evitar desperdícios hídricos e garantir a preservação dos mananciais. E, além disso, cada pessoa e cada família pode fazer a sua parte buscando consumir apenas o necessário, evitando o desperdício desse recurso tão essencial”, afirma Helio Mattar, diretor-presidente do Instituto Akatu.


- Você sabia? Se toda a água da Terra coubesse em uma garrafa de 1 litro, a água doce disponível equivaleria a pouco mais de uma gota!


- Seguem algumas dicas do Instituto Akatu que podem evitar o gasto excessivo da “água invisível”:


- Antes de fazer qualquer compra, reflita sobre a necessidade de adquirir um novo item. Pense se você não pode pegar o item emprestado, comprar o produto usado, ou fazer uma troca com outra pessoa;

- Promova uma feira de trocas com os amigos e familiares; inúmeros artigos como roupas, acessórios, bijuterias, livros, entre outros, podem ser reaproveitados e ganhar uma nova vida nas mãos de outra pessoa;


- Dê preferência aos itens duráveis mais do que os descartáveis;

- Faça o uso compartilhado de bens e serviços. Se possível, alugue-os temporariamente ou combine o uso comunitário, entre várias pessoas;

- Produtos concentrados, como de higiene ou limpeza, utilizam menos água em sua produção e transporte; por isso, devem ser preferidos em relação aos produtos diluídos;


- Dê preferência aos alimentos produzidos próximos ao local onde você mora e compre aqueles que são da estação, pois isso fará com que durem mais e não haja desperdício;

- Aproveite cascas, sementes, talos e folhas de legumes, verduras e frutas. Essas partes que muitas vezes são jogadas fora desconsiderando que têm nutrientes e podem ser aproveitadas em inúmeras receitas;


- Diminua o consumo de carne bovina, que exige muita água em sua produção. Você não precisa eliminá-la de sua dieta, mas pode consumi-la com menos frequência, substituindo-a por outras fontes de proteína – e assim diminuir o impacto negativo de sua produção no meio ambiente e, consequentemente, na vida das pessoas.

Fonte : Instituto Akatu