sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Tráfico de Animais ocasiona desequilíbrio ecológico


O tráfico de animais silvestres é considerado a terceira maior atividade ilícita praticada no mundo, perdendo apenas para o tráfico de armas e de drogas. Só no Brasil, estima-se que cerca de 38 milhões de animais silvestres são retirados da natureza, por ano, e que o comércio ilegal desses animais movimente aproximadamente 2,5 bilhões de dólares, por ano. As aves são as principais vítimas dos criminosos e os psitacídeos (papagaios e periquitos) são as espécies que lideram essa lista.


“As pessoas gostam muitos dessas espécies por elas terem a capacidade de reproduzir o que falamos. Mas, por mais que a intenção seja de cuidar bem do animal, as pessoas precisam ter consciência de que adotá-las como bicho de estimação pode causar sofrimento a elas. Por solidão, espaço físico reduzido, alimentação inadequada, dificuldade de reprodução. Além do risco de pegar alguma doença que não oferece sério risco à saúde dos homens mas que pode ser fatal aos bichos, como uma simples gripe”, alerta o Biólogo Giuseppe Puorto, membro do CRBio-01 – Conselho Regional de Biologia – 1ª Região (SP, MT e MS).


Mas, além de todo o sofrimento que os animais capturados para o comércio ilegal sofrem desde sua apreensão até que sejam vendidos, e depois pela falta de cuidados especiais e adequados para sua sobrevivência, o tráfico de animais silvestres ocasiona um terrível desequilíbrio ecológico. 


“O tráfico e o comércio ilegal de animais silvestres coloca muitas espécies em risco de extinção a médio e longo prazo. Até porque as espécies raras são justamente as que se tornam mais desejadas pelos criminosos”, diz o biólogo.
Puorto também lembra que o comércio ilegal de animais silvestres é crime ambiental, de acordo com a Lei nº 9.605/98, que prevê aos infratores prisão de seis meses a um ano, além do pagamento de multa. 


“Uma das principais armas de combate a este crime é a denúncia. É importante que a população avise as autoridades sempre que souberem ou suspeitarem de algo”, avisa o membro do CRBio-01. 

Para isso, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (IBAMA) pode receber denúncias por telefone (0800-618-080) ou por e-mail (linhaverde.sede@ibama.gov.br).


Fonte: Edmir Nogueira

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Impacto dos pássaros nas edificações, como diminuir?


O uso do vidro nas fachadas dos edifícios está cada vez mais em alta. Grandes torres ou até mesmo residências quase que totalmente envidraçadas nos atraem, pois proporcionam sensação de amplitude, de infinito, dando a impressão de que os espaços internos são maiores, prolongando-se pelas vistas.

Sem dúvida, fica lindo. Mas há alguns fatores que devem ser levados em consideração. O primeiro é o conforto térmico, pois caso não sejam um dos chamados "vidros inteligentes ou de alta performance", eles podem aquecer demais no verão, aumentando a necessidade do uso de condicionadores de ar e esfriar demais no inverno.



Mas, hoje, o foco deste artigo está nos pássaros. Eles enxergam estas grandes fachadas envidraçadas, ainda mais quando espelhadas, como a continuação do céu para voar e para onde mergulham e acabam sofrendo o impacto, muitas vezes, resultando em morte. Outra vezes, ao enxergarem o próprio reflexo nas grandes superfícies espelhadas, atacam a superfície, como se fosse um inimigo, também resultando em danos graves.
                             


Estima-se que até um bilhão de pássaros morrem por ano nos Estados Unidos ao impactarem em janelas e paredes de vidro, tornando os edifícios a maior ameaça existente a eles. O dano é tão grande que hoje já consta na certificação LEED, como crédito piloto 55, a diminuição dos impactos dos pássaros nas edificações, criado para tentar reduzir esta mortalidade.

Para este crédito existem algumas exigências, como a seguir:

Atender as solicitações referentes à fachada e estruturas do terreno, iluminação externa e um plano de monitoramento contínuo, como abaixo:

- Fachada do prédio e estruturas do terreno:

Desenvolver uma estratégia de desenho da fachada do prédio e estruturas do terreno que se tornem visíveis e barreiras físicas para os pássaros.

Se todos os materiais das fachadas do prédio tiverem um fator de ameaça 15 ou menor, o prédio está isento dos requerimentos para as fachadas do prédio e os cálculos de ameaça para colisão não são necessários. Se qualquer material das fachadas do prédio tiver um fator de ameaça à colisão de pássaros acima de 15, então os cálculos são requeridos.
                             

Todas as demais estruturas no terreno, incluindo, mas não se limitando a guarda corpos, telas de vento, gazebos, cercas de proteção das piscinas, abrigos de ônibus, devem ser construídos com materiais com um fator de ameaça menor do que 15.

E na sequência fornece os passos para estes cálculos:

Primeiro, dividir cada fachada do prédio em fachada zona 1 e fachada zona 2.

Fachada zona 1 inclui os primeiros 11 metros acima do nível do terreno em todos os pontos do PNT e também 3,7m acima de qualquer telhado vegetado. A zona 2 inclui todas as áreas acima de 11m do PNT.

Depois identificar cada material e a área total de cada material para cada zona.

Não mais do que 15% da área de fachada da zona 1 pode ter um fator de ameaça maior que 75. Esta área é quantificada separadamente como fator de perigo de área envidraçada na calculadora. No entanto mais de 15% da área envidraçada da zona 2 pode ter um fator maior que 75. Todos os cantos envidraçados ou em zona de voo devem ter um fator de ameaça menor ou igual a 25.
                       


- Tipos Gerais de Material: potencial de ameaça em ordem decrescente:


Tipos de Materiais

Maior potencial de ameaça

- Vidro: Vidro altamente refletivo ou completamente transparente


- Vidro: Estrutura refletiva ou transparente interrompida por um padrão baseada na regra 2x4


- Vidro: Superfícies refletivas ou transparentes protegidas por telas, persianas ou brises, em que o vidro exposto resultante satisfaça a regra de 2x4


- Vidro: Translúcido com superfícies opacas ou texturizadas


Menor potencial de ameaça :

Superfícies opacas

A regra 2 x 4 é definida no módulo de dissuasão de colisão baseado no perfil físico de um pássaro em voo. Uma pesquisa recente definiu um módulo máximo de 5 cm de altura por 10 cm de largura.


Iluminação exterior: 

Luzes externas do prédio que não sejam para segurança, entrada do prédio e circulação, devem ser automaticamente desligadas da meia noite às 6 da manhã. Caso seja necessário usar estas áreas fora destes períodos, estes sistemas devem poder ser ligados manualmente.

Mas mesmo sem optar por certificar a edificação como LEED nem optar por atender este crédito mesmo se estiver certificando LEED, existem algumas soluções que podem diminuir este problema, como por exemplo, plantar árvores altas para que o pássaro as enxergue como barreiras, não voando em direção à edificação.

Há, ainda, no mercado algumas soluções consideradas amigáveis aos pássaros pelo American Bird Conservancy (Órgão de proteção dos pássaros). Já foram desenvolvidos vidros comum tratamento invisível aos nossos olhos, mas que os pássaros enxergam como se fosse uma teia e, consequentemente, tornam-se um obstáculo. Algumas películas aplicadas da forma correta podem ter o mesmo papel, caso o vidro esteja fora de questão. Hoje em dia é importado da Alemanha.

Outra técnica que pode funcionar é aplicar adesivos com sombras simulando pássaros grandes em voo. Os pássaros menores temem o ataque e evitam o percurso.
                             


Estas medidas podem diminuir as fatalidades, mas não garantem que parem totalmente. Qualquer barreira visual, seja película, jateamento, tratamento com ácido, pode ajudar na diminuição destes impactos, mas não garante que pare totalmente, depende da localização, espécies de pássaros, orientação, reflexos do sol, local onde os pássaros buscam alimentos, rotas de voo, etc.

Sempre que um edifício é projetado é importante pensar nisto também: sustentabilidade não é só conservar água, energia e materiais, mas é também interferir o mínimo possível na natureza, e se possível ainda deixando um impacto positivo.



Fonte:  Adriana Noya- arquiteta e LEED AP BD+C. Recebeu premiações relacionadas à Sustentabilidade como a Menção Honrosa no Prêmio Planeta Casa, uma iniciativa do Planeta Sustentáve e o Prêmio Casa Cor de Sustentabilidade.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Quer viajar? Não guarde o dinheiro que sobra


Guardar o dinheiro que sobra no final do mês é um pensamento comum, porém errado, que afasta a conquista dos sonhos, como viajar e conhecer novos lugares. É preciso guardar em primeiro lugar, assim que receber o salário, e readequar o padrão de vida.

Até hoje, a maioria aprendeu a fazer dessa forma: Ganhos (-) Despesas = Lucro/Prejuízo. O erro está em nem sequer colocar os sonhos nessa conta; então, proponho que, a partir de hoje, façam: Ganhos (-) Sonhos (-) Despesas. 


Veja 5 passos para montar esse novo orçamento financeiro:

1º – Sonhe:

Muita gente nem ao menos possui sonhos, por isso esse é o primeiro passo. Junte a família para um papo descontraído, estimulando todos a falarem sobre desejos, tanto individuais quanto coletivos.

Relacionem, no mínimo, três sonhos: um de curto prazo (a ser realizado em até um ano), um de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (acima de dez anos). Quando se decide o que quer, quanto custa e quanto poderá poupar por mês para essa finalidade, fica mais fácil realizar.


2º – Poupe:

Separe o dinheiro para cada um dos sonhos logo que receber o salário, pois, se deixar para o final do mês, é certeza de que não sobrará – ou, se sobrar, pode acabar gastando.


3º – Pague as prestações:

O pagamento das prestações vem depois da poupança para os sonhos. Aqui são inclusas as prestações já adquiridas, como de cartões de crédito, carnês, crediários, financiamentos e empréstimos, por exemplo.


4º – Crie uma reserva estratégica:

É preciso poupar para uma reserva financeira, que irá preservar a poupança dos sonhos e o poder de pagamento das prestações, caso haja um imprevisto. Com ela, não precisará recorrer ao cheque especial ou cartão de crédito em uma emergência.


5º – Ajuste o padrão de vida:
Assim que reservar as quantias necessárias, adéque seu padrão de vida ao valor restante. Assim você estará priorizando as coisas certas.

Para tanto, tenha ciência de sua situação financeira fazendo um bom diagnóstico, sabendo exatamente para onde vai cada centavo do seu dinheiro. Assim saberá quais gastos pode reduzir ou eliminar.

Veja que é muito mais uma questão de mudança de comportamento do que de saber fazer contas ou ter que se privar de algo. Quando há metas bem definidas, poupar deixa de ser um martírio, e sim um estilo de vida que levará à mais realizações e satisfações.



Fonte: Reinaldo Domingos está a frente do canal Dinheiro à Vista. É Doutor em Educação Financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin ) e da DSOP Educação Financeira. Autor de diversos livros sobre o tema, como o best-seller Terapia Financeira.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Dia Mundial do Turismo: 4 destinos na Costa Oeste dos Estados Unidos para celebrar a data


Celebrado nesta quarta-feira (27/09), o Dia Mundial do Turismo foi criado pela Organização Mundial do Turismo (OMT) em 1980 para instituir um marco na atividade, uma das mais importantes para a economia. Dados da OMT apontam que o fluxo turístico internacional aumentou, entre 2000 e 2010, mais de 130 milhões de chegadas anuais para as mais diversas partes do planeta. Para comemorar a data, que tal visitar uma das regiões mais reconhecidas em todo o mundo?

A costa oeste americana está na lista de roteiros de qualquer apaixonado por viagens. As praias, as paisagens naturais, a vida noturna, os parques nacionais e as diversas atrações pelo caminho, transformam a viagem em uma opção que agrada todos os gostos. A Royal Holiday, clube de férias localizado no México, acredita que todo viajante merece experiências em grande estilo, por isso, separou uma jornada que começa nas montanhas do Arizona, passando pela agitação de Las Vegas, os bondinhos de São Francisco e, por fim, as belíssimas praias e o clima agradável de San Diego.

Confira as sugestões para destinos e hospedagens:

- Scottsdale, Arizona: aventuras radicais no deserto
A cidade de Scottsdale fica pertíssimo de Phoenix, o que possibilita visitar dois locais diferentes em um único dia. Para os turistas apaixonados por golfe existem mais de 300 campos em todo o Estado, a maioria localizada no alto das montanhas, proporcionando uma deslumbrante vista. No alto das montanhas também é possível encontrar o Cimarron Adventures and River Company, um parque gigantesco que oferece salto de paraquedas, passeio de balão e canoagem.

O parque McCormick Stillman Railroad irá encantar as crianças, especialmente por seus divertidos jogos, carrossel e trem. Aproveite o tour de bonde que o leva a conhecer os bairros, galerias, restaurantes e o centro da cidade. Não deixe de visitar o Museu de Arte Contemporânea de Scottsdale, desfrutar de um spa e ir aos Jardins Botânicos do deserto.


- Onde se hospedar: Scottsdale Camelback Resort

O Scottsdale Camelback Resort está situado aos pés da majestosa montanha Camelback, próximo à famosa Quinta Avenida e a somente 10 minutos de Phoenix. O complexo oferece amplos apartamentos equipados com banheira de hidromassagem, chaminé e terraço privativo. O resort dispõe de banheiras de hidromassagem internas e externas, sauna, academia, salão de jogos, piscina externa aquecida, quadras de tênis iluminadas e minicampo de golfe. A poucos metros do resort está o Fashion Square Mall com as melhores marcas para todos os gostos.

-Las Vegas, Nevada: a cidade que nunca dorme:

Las Vegas é um sonho para quem gosta de agitação: aberta 24 horas do dia, 7 dias por semana. Gastronomia, atividades recreativas, cassinos e espetáculos comprovam porque é chamada A Capital Mundial do Entretenimento. O principal ponto turístico local é a Placa de Las Vegas, que tem o famoso escrito “Welcome to Las Vegas” e se tornou a porta de entrada da cidade.


Os hotéis cassinos são reconhecidos em todo o mundo e há várias atrações temáticas para atrair os hóspedes. Os principais ficam localizados na Las Vegas Strip, a principal avenida e os mais famosos são: MGM, Bellagio, Caesars Palace, Mirage Venetian, Cosmopolitan e o Wynn. Para fugir um pouco dos pontos mais movimentados, Las Vegas tem um dos maiores pontos turísticos do mundo: o incrível Grand Canyon. Fica a apenas três horas da cidade e tem uma vista incrível.

- Onde se hospedar: Jockey Club

O Jockey Club está localizado na Las Vegas Blvd. South e proporciona uma estadia no centro de toda a ação. Aproveite a cidade que nunca dorme, com sua diversão sem fim: cassinos, espetáculos para toda a família, compras e excelentes comidas. As suítes do Jockey Club são o cenário perfeito para relaxar depois de um dia intenso. Os seus apartamentos são totalmente equipados e entre suas instalações há uma piscina externa, quadras de tênis, equipamento de ginástica, sauna e banheira de hidromassagem.
                         

-São Francisco, Califórnia: tranquilidade e mobilidade urbana:

Um dos cartões postais do país, a cidade ficou mundialmente conhecida graças aos tradicionais bondinhos. A metrópole apresenta inúmeros atrativos culturais e paisagens incríveis, a Golden Gate Bridge, maior símbolo da região, pode ser vista de vários ângulos. O mesmo acontece com a Ilha de Alcatraz, antiga prisão de segurança máxima. Há ainda a rua mais torta do mundo (Lombard Street), um bairro totalmente oriental (Chinatown), teatros, museus e muitas outras atividades.

No Pier 39, concentram-se lojinhas, música ao vivo, um parque de diversões, acesso ao projeto de preservação de leões marinhos e restaurantes. O mais bacana deles é o Bubba Gump Shrimp Co., o famoso restaurante do filme Forrest Gump. Se você gosta de compras, visite a Market Street e a Union Square, onde é possível encontrar marcas de roupas famosas.

- Onde se hospedar: Nob Hill Inn

A somente 27 quilômetros do Aeroporto Internacional de São Francisco, o hotel conta com localização privilegiada, situado no distrito central de Nob Hill, próximo de Chinatown. O turista poderá fazer compras exclusivas em Union Square, apreciar os bondes e as principais atrações da cidade. Decorado ao estilo eduardiano, o complexo conta com 21 apartamentos e suítes adornadas com antiguidades e, claro, muito conforto. Os hóspedes ainda poderão desfrutar da hora do chá, no salão do hotel, das 4 às 18 horas.


-San Diego, Califórnia: tranquilidade e clima agradável:

Com 112 quilômetros de praias, moradores simpáticos e clima incrível, San Diego, a segunda maior cidade da Califórnia, tem uma energia de tranquilidade e amor à diversão. Dias de sol durante todo o ano e um clima temperado durante o inverno. Os moradores de San Diego curtem o ano todo a praia, seja para surfar, para nadar ou para relaxar na areia quentinha. Entre os lendários picos de surfe estão Sunset Cliffs, Bird Rock e Swami’s.

SeaWorld, na orla de Mission Bay, é outra atração única. É a saída ao oceano mais próxima e, constitui o símbolo que representa San Diego. Ao norte deMission Bay há pequenas lojas, cafés e restaurantes em uma zona praieira que encarna a essência do estilo de vida californiano. Experimente os saborosos tacos de peixe da deliciosa culinária da região, conhecida como Cali-Baja, até jantares criativos com produtos locais fresquinhos.

- Onde se hospedar: Wave Crest at Del Mar

Sobre o penhasco que domina a costa de Del Mar, Califórnia, está construído o premiado complexo turístico Wave Crest at Del Mar. A paisagem matinal se transforma em uma noite inesquecível, onde os viajantes desfrutarão de uma bela e confortável suíte com vista panorâmica e com as emoções de inúmeras atividades esportivas, culturais, gastronômicas e turísticas. 


O complexo está localizado somente a 30 km do aeroporto internacional de San Diego e seus confortáveis quartos estão muito bem equipados no modelo kitchenette, o que torna muito pratica as férias com crianças.


Fonte: Alessandra Macedo