sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Por dentro dos cassinos de Mônaco


Um destino versátil e múltiplo, Mônaco é cheio de contrastes que o tornam muito interessante aos olhos de viajantes do mundo todo. Os edifícios de arquitetura clássica e a atmosfera tranquila do Mediterrâneo fazem um contraponto com os serviços modernos e equipamentos super tecnológicos. Um dos ícones do país, o Casino de Monte-Carlo, foi inaugurado em 1863. Ele exibe traços clássicos, repleto de vitrais, esculturas e pinturas, além dos tradicionais salões de jogos. É impossível não se impressionar com cada um de seus aposentos, de arquitetura e decoração suntosas e impecáveis. Existem salas com diferentes tipos de jogos para entreter os visitantes, amadores ou profissionais, que tentam a sorte e divertem-se todos os dias no principado. Entre elas, a Salle Renaissance , logo na entrada, possui as primeiras 50 máquinas caça-níqueis; a Salle Blanche, uma das mais populares, cujo terraço oferece uma vista privilegiada do principado, onde encontram-se os jogos de roletas, Punto Banco, Black Jack, Ultimate Texas Hold-em Poker e mesas Trente et Quarante; e a lendária Salle Europe repleta de jogos de mesa, que podem ser acompanhados de um coquetel especial, menus gourmets e especialidades mediterrâneas. 



Se o Casino de Monte-Carlo é um dos mais reconhecidos por toda sua história, tradição e arquitetura clássica, o Monte-Carlo Bay Casino, localizado no hotel de nome homônimo, é super moderno e possui cerca de 150 máquinas caça-níqueis de última geração, que funcionam sem tokens e são equipadas com a tecnologia “Ticket In / Ticket Out”. Os jogadores, que não precisam ser hóspedes do hotel para terem acesso ao local, podem fazer jogos a partir de qualquer valo 


Já o Casino Café de Paris fica aberto 24h por dia, todos os dias na semana, ou seja, o entretenimento não tem hora pra acabar. Ali há desde jogos de mesa, como Blackjack e roleta, até máquinas caça-níqueis de vários tipos, como as temáticas. O cassino oferece dois terraços e um bar e restaurante e é sempre muito agitado, já que promove eventos semanais, torneios e outros acontecimentos. 

O Sun Casino, dentro do hotel Fairmont Monte-Carlo, é um cassino de estilo americano com uma clientela cosmopolita e atmosfera animada. O local abre a partir das 14h todos os dias e oferece jogos de mesa e 300 máquinas caça-níqueis. Ali o que importa é a diversão, por isso há várias televisões grandes espalhadas pelo salão passando grandes eventos esportivos. Seu restaurante Sun Casino’s Circus se transforma, depois da meia-noite, em um lounge “after-dinner”. Aos fins de semana à noite há shows de música ao vivo e, ao longo do ano, hóspedes do Société des Bains de Mer têm a chance de participar de vários torneios. 


Em Mônaco há cassinos para todos os gostos, dos mais clássicos aos modernos, para aqueles que apreciam uma arquitetura incrível aos que gostam de uma atmosfera vibrante, para quem é profissional ou quem quer apenas sentir o gostinho de apostar em um dos mais famosos cassinos do mundo, para quem gosta de jogos de mesa ou tentar a sorte em máquinas caça-níqueis.

Fonte : Cleo

Maior prêmio de gastronomia do mundo acontecerá em Melbourne, na Austrália



Após o enorme sucesso em Nova York, em 2016, o prêmio “Os 50 Melhores Restaurante do Mundo” anuncia que sua edição de 2017 será em 05 de abril. Realizado no Royal Exhibition Building, em Melbourne, o evento será também a comemoração do 15º aniversário da premiação.

Em parceria com o Tourism Australia, o evento contará com a presença de chefs renomados no mundo todo, especialistas em restaurantes, sommeliers, imprensa e influenciadores, celebrando o melhor da cozinha global. A programação do evento em geral, que vai de 01 a 07 de abril, irá representar a excelente variedade australiana em comida e vinho para um público internacional de profissionais da indústria e amantes da gastronomia.



William Drew, editor de “Os 50 Melhores Restaurantes do Mundo”, diz que "depois de 14 anos realizando o evento em Londres, decidimos leva-lo para um tour global, começando em Nova York em junho de 2016. Não poderíamos estar mais entusiasmados com Melbourne, uma das melhores cidades gastronômicas do mundo. Em abril do próximo ano, a Austrália será sem dúvida o local ideal para os apaixonados por boa comida e restaurantes inspiradores. Em parceria com o Tourism Australia, iremos aproveitar a oportunidade para destacar produtos únicos do país, seus vinhos extraordinários e seu excitante cenário culinário".

Já John O'Sullivan, diretor geral do Tourism Australia, afirma que os prêmios e programação do evento formam uma extensão natural de sua campanha Restaurant Austrália. "Grandes experiências culinárias são feitas para e por pessoas, produtos e lugares, e com a confirmação do Royal Exhibition Building, acredito que encontramos o local perfeito para sediar uma reunião global de tamanho prestígio da cultura de alimentos e vinho".


Peter Bingeman, chefe executivo de Visit Victoria, diz que a "cultura de comida, bar e café de Melbourne tem uma profundidade e diversidade de décadas do processo de migração para Victoria, juntamente com um farto apetite para abraçar o novo e o audacioso. Nosso produto é inigualável, nosso talento é pioneiro, e as nossas paisagens naturais e centros urbanos fornecem uma base para experiências culinárias inesquecíveis - de ruas e casas de café, a vinhas deslumbrantes e jantares regionais".

“Os 50 Melhores Restaurantes do Mundo” é o maior encontro gastronômico anual, que une chefs e especialistas em restaurantes de todo o planeta para comemorar e colaborar. Wine Australia irá fornecer vinhos do mais alto calibre ao longo do evento, incluindo o tradicional Chefs’ Feast (uma reunião privada e única com os melhores talentos, que acontece em 4 de abril), bem como outras ativações.


O CEO da Wine Australia, Andreas Clark, diz que "o evento é uma excelente oportunidade para as pessoas mais influentes do ramo experimentarem o vinho fino que a Austrália produz. Estamos muito animados para mostrar a inovação, qualidade, diversidade e sabor dos conhecidos vinhos australianos”.

Um dos encontros gourmet mais consagrados da Austrália, Melbourne Food and Wine Festival, já concordou em alinhar suas datas com as do evento no ano que vem. O Festival, em seu 25º ano, acontece de 31 março a 9 abril. Com isso, será possível incluir uma série de Master Classes celebrando os 50 melhores restaurantes do mundo com chefs ilustres, em 1º e 2 de abril.


Etihad Airways e QT Hotel Melbourne também foram confirmados como parceiros, ajudando com transporte e hospedagem. Como uma das principais companhias aéreas do mundo, Etihad vai garantir que os chefs viajem para a Austrália com conforto e estilo. Já o recém-inaugurado hotel boutique QT Melbourne irá acomodá-los durante sua estadia na cidade.

"O hotel QT Melbourne é inspirado na tendência global de viagens contemporâneas e traz de volta o grande restaurante do hotel. Através da nossa parceria com a Tourism Australia mostraremos a força da nossa filosofia em comida e bebida, que inclui nossa QT Forager, jardins panorâmicos, colmeias de abelhas e equipamentos de cozinha inovadores", afirma David Seargeant, Group Managing Director, Event Hospitality & Entertainment.



A mudança do Prêmio para a Austrália coincide com o desejo do país em destacar a qualidade de sua gastronomia e vinhos para o mundo. Desde o início da campanha Restaurant Austrália, do Tourism Australia, em dezembro de 2013, os gastos internacionais em comida e vinho aumentaram em mais de US$ 1 bilhão (25%). Um em cada cinco dólares gastos pelos visitantes internacionais na Austrália são investidos em experiências de alimentos e vinhos.

                                                                                                                                                                                             

-
Como a lista dos “50 Melhores Restaurantes do Mundo” é compilada:
A lista é criada a partir dos votos da Academia “Os 50 Melhores Restaurantes do Mundo”, um influente grupo de mais de 1.000 líderes internacionais da área. A Academia é composta por 26 regiões diferentes do globo, cada uma com 40 membros, incluindo um presidente. Cada membro pode lançar 10 votos e, destes 10, pelo menos quatro votos devem reconhecer restaurantes fora de sua própria região.

O painel em cada região é composto por escritores e críticos gastronômicos, chefs, especialistas em restaurante e “gastrônomos” altamente reconhecidos. Membros listam suas escolhas em ordem de preferência, com base em suas melhores experiências ao longo dos 18 meses anteriores. Não há check-list pré-determinado de critérios, mas existem regras estritas de votação.

A lista é julgada independentemente por consultores de serviços profissionais da Deloitte. Esta adjudicação garante que a integridade e autenticidade do processo de votação, assim como a lista resultante, sejam protegidos.


A cerimônia de premiação será transmitida ao vivo pelo link www.finedininglovers.com




Fonte: Julia Reina

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

O que a música diz sobre as pessoas




Na ciência você adquire conhecimento primeiro e depois vem a fé, na espiritualidade a fé vem primeiro e depois vem o conhecimento. Na música nós temos uma adorável combinação de experimentar a fé e o conhecimento simultaneamente.

Podemos perceber com facilidade o que a música diz sobre alguém se prestarmos atenção em quem a “faz”. O consagrado pianista americano Herbie Hancock declarou que estamos em um tempo onde as pessoas não se interessam por música, elas gostam é das pessoas que as fazem.


Uma identificação com aquele que aparece, canta, dança, namora, veste e dá entrevistas, sendo o som em si, algo cuja a importância não é essencial.

A escuta mudou! Se você ainda tiver um equipamento três em um que existia na casa de seus pais ou avós, perceba que ele tem uma qualidade de som bem melhor do que o melhor equipamento à venda na loja especializada de sua cidade.

Ouvir música era uma atividade sensorial. Qualquer aparelho tinha caixas acústicas com graves, médios e agudos gostosos. O som entra pelos ouvidos, pela pele e pela barriga. Hoje, a relação é de identificação com o artista. Como dizia o velho provérbio - que muitos pensam ser bíblico, mas não é: “diga-me com quem andas e te direi quem és”. No caso da música, “diga-me quem ouves e te direi quem és”. E você? O que tem ouvido ultimamente? Com quem tens andado?

São músicas instrumentais ou canções? Instrumentais tendem a conduzir ao contato com seu ser, uma viagem de relaxamento e autoconhecimento, aumenta a autoestima e traz o foco.

Você tem ouvido canções? Com letras em inglês ou português? (já que em todo o planeta, e não só no Brasil, há o desconhecimento de músicas cantadas em outras línguas, ouvimos 99% das letras em português ou em inglês). Se for em inglês: você entende o que as letras dizem? Se for em português: o que as letras dizem?

A música diz muito sobre as pessoas e, assim como as companhias, um bom hábito é saber o que ouvir, pois é uma maravilhosa fonte de paz e energia. Sugiro “andar com fé eu vou” contra “um tapinha não dói”, sugiro “gente fina, elegante e sincera” a “que descem e rebolam, afrontam as fogosas”, proponho “basta ser sincero e desejar profundo, você será capaz de sacudir o mundo” a “os mano tá tipo bomba e as mina bumbum granada“ invista em “ o amor é o calor que aquece a alma” em vez de ”não sei se dou na cara dela ou bato em você”.

Este ano, ofereci a um amigo que teve sua primeira filha uma roupinha de bebê com o desenho de uma guitarra e a frase “a revolução começa aqui”. Ela pode começar também no seu aparelho de som. Ou como eu já ouvi dizer: “diga-me com quem andas e daí eu te direi se vou contigo...”


Autoria : Alvaro Fernando -  premiadíssimo compositor de trilha sonora, vencedor de três leões em Cannes, duas medalhas em New York Festival e três estatuetas no London Festival. Há mais de 25 anos no mercado, atua com os principais anunciantes dentro e fora do país. É também autor do livro “Comunicação e Persuasão – O Poder do Diálogo”.




Cinco situações que mais irritam os clientes de call center


Em muitos casos, ligar para uma central de atendimento ainda pode ser um processo frustrante. Especialmente quando nos deparamos com URAs antiquadas e mal planejadas, falta de integração com outros canais e equipes carentes de treinamento, entre outros problemas. E a experiência é pior ainda quando a solução não vem ao fim da chamada. São fatos que rendem dores de cabeça até aos mais calmos consumidores. Mas nem sempre é assim. A Mutant, empresa brasileira focada em oferecer soluções para jornada do cliente, dá o exemplo de acolhimento e eficácia e está no mercado para mudar esse conceito.


- Confira a lista levantada pelo especialista, com os erros mais comuns cometidos pelas equipes de telemarketing:

- Espera eterna: O que pode ser pior do que um consumidor horas pendurado ao telefone enquanto aguarda ser atendido? Apesar de existir uma lei em que proíbe que a assistência passe de um minuto para ser iniciada, nem sempre ela é respeitada.

- Menu complicado: filtrar é importante, mas ser obrigado a discar vários números e passar por uma infinidade de menus para chegar ao item desejado é desgastante. Dificuldades no atendimento são um dos principais fatores para a perda dos clientes. Por outro lado, adotar um sistema bem planejado e inteligente de URA (Unidade de responsabilidade audível, ou seja, atendente eletrônica muito usada nessa área) pode ser o primeiro passo para melhorar a experiência e fidelizar relações.

- Atendentes despreparados: Ao entrar em contato com o atendimento de qualquer empresa, o mínimo que se espera é resolver a questão. Investir em bons treinamentos é essencial. Além disso, ter um sistema de monitoria e dar autonomia aos atendentes para resolverem as questões dos clientes sem precisarem recorrer constantemente a superiores é imprescindível.

- Pinga-pinga em diferentes setores: passar de um ramal para o outro ou pedir para a pessoa entrar em contato por outras plataformas, como Facebook, chat ou e-mail, pode soar como sinônimo de enrolação. Segundo a Harvard Business Review 57% dos que demandam desse tipo de serviço já foram transferidos entre departamentos durante o atendimento. Com a otimização de processos e capacitação dos atendentes, é possível melhorar o fluxo de atendimento e reduzir este tipo de movimento que incomoda tanto aos clientes.

- Contar tudo de novo: Quando o cliente utiliza diferentes meios de atendimento, ou através do mesmo canal, muitas vezes o consumidor precisa explicar o seu caso repetidas vezes. Com um trabalho planejado de integração de plataformas e utilizando os sistemas corretos, é possível fazer com que todos entendam de antemão exatamente o motivo do contato, independentemente da plataforma usada e de quantas vezes a situação tenha sido verbalizada. 


Autoria:  Rouman Ziemkiewicz é CMO e CSO da Mutant, empresa brasileira especializada em soluções de comunicação entre marcas e clientes