segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Sobre o tema : Pechinchar

O pechinche generalizado é uma doença e se espalhou como uma epidemia

Retorno ao assunto para que façamos juntos uma análise do quanto exposto pelos colaboradores que se manifestaram até o momento.

Estamos vivendo a era "Salve-se que puder"

Um momento crítico e preocupante, onde os preços das diárias estão caindo assustadoramente, conseqüência do efeito "dominó"

Os preços mais baixos derrubam e também ameaçam o lucro.

Análise da Situação :

1.Pressão total por parte do cliente que passou a utilizar mais e mais a sessão Pechincha, porque ele possui hoje uma maior quantidade de informação e maior facilidade em obtê-las

2.Aumento desproporcional da oferta de leitos oferecidos

3.Sem contar outros meios de hospedagem ( flats, apart hotéis e casas de aluguel )

4.Concorrência predatória dos estabelecimentos ilegais e irregulares, que se beneficiam das vantagens tributárias e demais despesas

5.Pressão e achatamento das tarifas das diárias pelas grandes redes hoteleiras e pelas agencias e operadoras, acarretando o efeito dominó

6.Desinteresse, despreparo e má administração pública no planejamento turístico de várias cidades e que acabam marginalizando alguns bairros

7.Atitudes desastrosas de hoteleiros, que não sabem calcular seus custos totais e definem seus preços assim( preço do concorrente menos X % ). E estão oferecendo descontos absurdos

8.Má fé de alguns por puro sentimento de mesquinharia

9.Incentivo do pechinche através dos sites de turismo por todo o Brasil

10.Individualidade e falta de diálogo por parte de toda a classe hoteleira

11.Marketing enganoso por parte : empresas de construção ( de flats, hotéis p/ investimento ); meios governamentais das cidades e municípios, dando declarações falsas de elevada ocupação e aumento de fluxo turistas como conseqüência fomentando o ingresso de mais pessoas sonhadoras, iludidas e despreparadas

12. Incentivo para o financiamento de novos empreendimentos através de recursos do governo

Nosso PROBLEMA:Diminuição generalizada dos preços das tarifas atingindo níveis perigosos

E porque o hoteleiro cobra preços muito baixos, as vezes abaixo dos custos?

Resumidamente : A SOBREVIVÊNCIA ( nem que seja até o próximo feriado )

CONSEQÜÊNCIAS da prática dos preços lá em baixo !

1.Se a situação não se reverter, em breve o parque hoteleiro estará sucateado

2.Pouco tempo de vida empresarial para uma boa maioria

3.Na guerra instalada diminuísse o padrão de qualidade e conseqüentemente também o nível do cliente usuário, não só o do seu estabelecimento, como o usuário da sua cidade.

4.Denigre e desmoraliza a imagem de toda a classe hoteleira

5.Estamos dando espaço cada vez mais, para o avanço das grandes redes hoteleiras internacionais

6.Cria atritos pessoais entre os concorrentes diretos

7.Não fazemos as reformas e as melhorias necessárias no imóvel para podermos acompanhar as tendências exigidas

E de quem é a culpa ?
Somos todos culpados e vítimas ( grandes e pequenos, legais e ilegais )estamos todos no mesmo barco ( que por sinal esta a deriva )

Agora pergunto :

Alguma coisa mudou desde a publicação desta matéria ( 19 / abril ) para cá ?

E será que vai mudar sem se agir de fato ?

Então é hora de implementar as soluções

Somente com atitudes e mudanças coletivas e que podemos atingir o sucesso.

SOLUÇÕES

As palavras chaves são :

UNIÃO : e parcerias locais , sozinhos não somos nada, todos devem colaborar

AÇÃO : Afastar de vez, o conformismo e o comodismo. É não ficar parado esperando que os outros façam

0. Conscientização : Este é o 1º passo, há muitos que ainda não se deram conta da situação ( só para efeito deexemplo cito que já tem cidade onde a tarifa casal chegou a R$ 9,90 ) e se nada for feito deve piorar a cada dia.Divulgação a todos, pois há muitos que desconhecem

1.Vacinação nacional contra a doença do conformismo

2.Reduzir a oferta ou desacelerá-la ( leis municipais de restrição a instalação de novos estabelecimentos )(semelhante ao que Búzios - RJ esta implantando)

3.Um PACTO ( cartel, acordo de cavalheiros, enfim, como quiserem definir ) revendo a política tarifária praticada na cidade, definindo preços justos para promover o equilíbrio do mercado, talvez organizado junto a sua associação, sindicato, Comtur, etc.

4.Não encarar os praticantes de preços baixos como inimigos e sim ajudá-los, mostrando e ensinando onde for necessário, sem isto ele continuará na mesma.

5. Buscar a participação, mesmo daqueles "informalmente" estabelecidos, não marginaliza-los, para aderência as propostas e ao mercado formal

6. Fórum de discussões em cada cidade com união e parcerias locais para cobrar dos órgãos públicos as ações necessárias

7.Esclarecer a opinião pública, imprensa e investidores sobre a realidade do mercado, quem sabe, começando pelo jornalzinho da cidade, em breve a notícia não estará nas capas da Veja e do Fantástico

8. Formação de Cooperativas integradas e participativas, diminuindo os custos dos pequenos, para fazerem frente à concorrência profissional

9. Cobrar dos órgãos federais que canalizem os recursos dos empréstimos (citados acima ), exclusivamente para financiar a infra-estrutura básica turística: saneamento, limpeza pública, segurança, calçamento, sinalização, etc..

10.Coloque aqui a sua solução

Mãos à obra pessoal,

MEXAM-SE que um futuro melhor em breve nos espera

Fonte: Carlos Alberto Aguazul - Peruibe - S.P.

Nenhum comentário:

Postar um comentário