sexta-feira, 18 de junho de 2010

Crescimento X Desenvolvimento

Quando identificavam um rapaz que trabalhava e estudava, nossos avós afirmavam: “Ele é um bom partido!”. Isto significava que tais criaturas eram cobiçadas para ser os futuros maridos de suas filhas.

Conceito ultrapassado, faz parte apenas das reminiscências do passado, alguns podem afirmar, mas cuidado! Aprendi a respeitar a sabedoria dos “antigos”. É interessante observar o que eles valorizavam: estudo e trabalho. Trabalhar para crescer, estudar para se desenvolver. Crescimento e desenvolvimento.

Conceitos muito próximos para alguns, conceitos muito diferentes na realidade. Muitas empresas crescem, aumentam faturamento, share, lucro, rentabilidade, número de funcionários, número de lojas, número de fábricas etc. mas não se desenvolvem.

Uma situação similar àquele sujeito que é um grande empreendedor e que ganhou dinheiro, mas continua aos oitenta anos tão grosseiro e analfabeto como quando nasceu. Simplificando, lucro qualquer um tem, crescer qualquer um cresce, mas garantir este crescimento por dezenas ou centenas de anos, poucos conseguem. O que garante o crescimento contínuo e sustentável é o que se chama de desenvolvimento. O Brasil de 2010 é um claro exemplo de quem cresce, mas não se desenvolve.

Apesar do aumento do PIB, continuamos com níveis altos de crimes e de tragédias no trânsito. Apesar dos bons índices da economia, temos péssimo sistema educacional e de saúde. Entre 1880 e 1920, a Argentina cresceu mais do que a maioria dos países da Europa e América e os argentinos sonhavam em ser uma superpotência.

Quase cem anos depois, não se comparam ao Brasil e estão no rol dos países subdesenvolvidos. O que aconteceu? Cresceram, porém não se desenvolveram. É lícito, portanto, que façamos a pergunta: o que é uma empresa desenvolvida? A resposta é simples: é aquela empresa onde, além do crescimento, existe uma forte cultura de DESENVOLVIMENTO HUMANO.

A admissão de funcionários acontece nos cargos mais simples e quase que exclusivamente a prata da casa é promovida para o nível gerencial e diretivo. Empresas subdesenvolvidas buscam gerentes e diretores com freqüência na rua. Empresas desenvolvidas criam seus próprios dirigentes.

Nas empresas desenvolvidas, a área de RH é tão importante quanto a área financeira ou vendas e o treinamento é intenso. Quase não cometem erros grosseiros e há raros problemas de comportamento. As virtudes do trabalho e do estudo são cultivadas com fervor religioso. O trabalho é intenso e o treinamento também. A tolerância com os pequenos deslizes é zero e a administração é severa, conservadora e justa.

Meritocracia e constante avaliação de desempenho são regras básicas e praticadas sem contestação. Apesar de divergências, confiança e respeito são marcas indeléveis da cultura.

Quando uma empresa cresce mas não se desenvolve, a decadência no curto prazo é inevitável. Empresários precisam avaliar quais esforços reais estão fazendo para desenvolver suas organizações. Funcionários devem evitar trabalhar em empresas que apenas crescem. Elas não são confiáveis.


AUTORIA : Paulo Ricardo Mubarack

Nenhum comentário:

Postar um comentário