terça-feira, 22 de março de 2011

Quem são os verdadeiros americanos?


Sofisticados moradores de Nova York ou jecas da “América profunda”? Intelectuais vencedores do prêmio Nobel ou truculentos senhores da guerra? Qual a origem da autoconfiança e soberba dos americanos? E mais: como esse gigantesco vizinho do norte se tornou o que é, rico e poderoso?

As respostas para essas e muitas outras questões e curiosidades sobre esse povo está no livro Os americanos, obra da coleção Povos e Civilizações da Editora Contexto. Com escrita densa, brilhante e provocativa, o historiador Antonio Pedro Tota rastreia origens, costumes e paradoxos dessa nação, desde o século XVI, com a chegada dos primeiros ingleses àquele continente, até a eleição de Barack Obama. Retrata também o expansionismo, os anos dourados, as guerras, os escândalos, a música, a sétima arte e muito mais.

Para uns, os Estados Unidos da América são um paradigma da modernidade, para outros, um monstro tentacular imperialista. Gostemos ou não, os americanos são importantes. E muito. Todos os dias eles bombardeiam o mundo com filmes, séries de televisão, hambúrgueres e Coca-Cola. Suas músicas são ouvidas em todos os continentes. Seus ícones transformaram-se em símbolos mundiais e o inglês é uma espécie de língua franca universal.

Os americanos está dividido em 11 capítulos cronológicos e uma apresentação esclarecedora, na qual o historiador mostra como entender o povo americano, comparando com as nossas manias e costumes. Tota abre o primeiro capítulo explicando “A origem dos americanos”, relatando sua ascendência inglesa, o surgimento de um país, ainda sem nome e à procura de uma identidade. A seguir o autor explica a experiência republicana, os passos para a criação de um governo nacional e o período de Adams à Jefferson. Em “Como os Estados Unidos ficaram desse tamanho?”, ele revela os primeiros passos da nova identidade mundial: as guerras internas, as conquistas do Oeste e do Sul, o patriotismo e a guerra civil, um divisor de águas na história americana.

Na quarta parte da obra, vamos encontrar o “renascimento” a partir do fim da guerra da Secessão. Os Estados Unidos deixaram de ser apenas um país agrário para se tornarem uma potência industrial. Naquele período, algumas características marcantes que conhecemos ainda hoje aparecem: o imperialismo, a democracia do consumo como estilo de vida e as mudanças radicais na política do país. O quinto e o sexto capítulos retratam momentos dramáticos do século XX, da Primeira Guerra Mundial ao fim da Segunda Guerra O texto mostra como os americanos enfrentaram a depressão dos anos 1920, as crises e o início do governo Roosevelt, para depois apresentar o fim desse tempo e a consolidação do país como uma potência mundial. O sétimo capítulo é dedicado à Guerra Fria, à caça às bruxas do macartismo, à ascensão da classe média e às diversas contradições dessa sociedade.

No capítulo seguinte, Tota discorre sobre os presidentes dos anos 1950 ao fim dos anos 1980: a tranquilidade de Eisenhower, a conturbada gestão de Nixon, a chegada de Kennedy à Casa Branca e o seu assassinato, Johnson e árdua tarefa de lidar com os conflitos no Vietnã, em meio a protestos, e por fim, o conservadorismo de Reagan. Já no nono capítulo, encontraremos as incertezas com a chegada de Barack Obama, o fim dos ícones e as preocupações com segurança.

O décimo capítulo é um passeio sobre a cultura americana e o seu mais poderoso produto de exportação: a sétima arte, o imperialismo hollywoodiano e a fábrica de sonhos que alimenta toda a engrenagem dessa cultura de massa. Na conclusão, Antonio Pedro Tota apresenta os paradoxos, os problemas dos Estados Unidos e o seu maior temor: a perda da qualidade de vida, provinda da atual crise econômica.

Os americanos é um livro fascinante, uma obra fundamental para entender e saber quem é esse povo. Um livro pronto para responder a muitas questões e dúvidas sobre a maior potência mundial. Um país que dita regras, cheio de heróis, marcado por guerras e até por vencedores do Prêmio Nobel da Paz.

Antonio Pedro Tota é professor de História da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Mestre e doutor pela Universidade de São Paulo (USP), fez pós-doutorado na Universidade de Colúmbia (EUA) e na PUC-SP. É coautor, pela Editora Contexto, do livro História das guerras.

Serviço
Livro: Os americanos
Autor: Antonio Pedro Tota
Formato: 17x22,5 cm; 304 páginas

Fonte: Fábio Diegues

Nenhum comentário:

Postar um comentário