quarta-feira, 15 de junho de 2011

Tecnologia é aliada da sustentabilidade

A elevadíssima qualidade dos 21 cases inscritos na “Categoria Ambiental” do 2o Prêmio Abigraf de Responsabilidade Socioambiental, cuja cerimônia de entrega realizou-se em 7 de junho último, evidencia o avanço da indústria gráfica brasileira no tocante à produção limpa. A constatação corrobora o propósito da Associação Brasileira da Indústria Gráfica ao criar o concurso, de estimular e reconhecer as práticas ecologicamente corretas das empresas.

A disseminação dessa consciência é decisiva, em todos os setores produtivos, para a preservação do meio ambiente e, sobretudo, a reversão das mudanças climáticas, que continuam ameaçando a salubridade do habitat, em futuro não muito distante. Portanto, é premente atender à premissa da sustentabilidade. Trata-se de uma atitude cívica e política dos indivíduos,empresas e todas as organizações da sociedade contemporânea. Nesse sentido, o Prêmio Abigraf de Responsabilidade Socioambiental cumpre missão relevante, reforçando essa postura positiva.

Por outro lado, a produção limpa - que na indústria gráfica significa preocupações desde a racionalização do uso da água, passando pela utilização de insumos e consumíveis de maior produtividade, até o tratamento de resíduos e aproveitamento de aparas – somente pode ser viabilizada pelo aporte de tecnologia, processos corretos, normas eficazes e sistemas de produção padronizados conforme certificações comprovadamente adequadas.

Nesses quesitos relativos à vertente técnica da impressão, tem sido relevante a contribuição da ABTG (Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica). A entidade, que é o organismo normalizador oficial do setor no País, braço da indústria impressora brasileira na ISO Internacional, certificada ISO 9001:2008 e Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), tem avançadocada vez mais no escopo de suas missões: difundir informação técnica; incentivar a pesquisa; introduzir e disseminar tendências e tecnologias no segmento gráfico nacional, incentivando o debate técnico; auxiliar o profissional a entender e acompanhar as rápidas mudanças no universo da comunicação gráfica, criando referências com o desenvolvimento de normas técnicas e prêmios de qualidade

Todo esse trabalho respalda a ação política da Abigraf de estímulo às práticas ecologicamente corretas e a atitude cívica das gráficas brasileiras de atender à prioridade da preservação e resgate da qualidade ambiental. Percebe-se um crescente movimento sinérgico entre a postura cidadã e a tecnologia e processos necessários ao seu exercício. Estamos diante de um saudável exemplo. Sua multiplicação ao longo das distintas cadeias produtivas poderá ser de imensa valia para que o Brasil equacione de modo mais rápido o grande desafio deste século, que é conciliar produção, crescimentoeconômico e qualidade ambiental.


Fonte :Reinaldo Espinosa é o presidente da Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica (ABTG).

Nenhum comentário:

Postar um comentário