sábado, 8 de outubro de 2011

"Cavalgando Um Cavalo Morto" – Uma Metáfora Empresarial


Dizem que os índios Dakota, dos Estados Unidos, têm um ditado, passado de geração em geração, que diz: “Quando você descobrir que está montando um cavalo morto, desmonte”.

Levando essa sabedoria para a área empresarial, vemos que o é uma representação de algo que deixou de existir, de funcionar ou de produzir os resultados esperados como um produto obsoleto , um serviço ineficiente , um software inadequado , uma máquina defeituosa , um mercado em declínio ou mesmo pessoas que se tornaram desmotivadas , acomodadas ou desatualizadas .

E rapidamente descobrimos que “desmontar de um cavalo morto” – abandonar velhas práticas ou recursos - numa empresa, não é tarefa fácil! Mudanças, Inovações RESISTÊNCIA

Embora os dirigentes saibam que é necessário remover os “cavalos mortos” que retardam ou impedem a evolução dos negócios, muitos preferem adotar estratégias para tentar fazer o cavalo morto cavalgar novamente, como estas:

1 . Comprar um chicote mais forte.

2 . Substituir os cavaleiros por outros mais competentes e mais leves para melhorar o desempenho do cavalo morto.

3 . Dizer coisas como: “esta é a forma como nós sempre montamos este cavalo”. Ou “esta é a forma como sempre fizemos as coisas nesta empresa”.

4 . Nomear um comitê ou Circulo de Qualidade para estudar o cavalo. Reclamar da qualidade dos cavalos de hoje.

5 . Organizar visitas a outras empresas ou países para ver como eles cavalgam cavalos mortos.

6 . Eliminar políticas e normas que digam que o cavalo está morto. Demitir quem disser que o cavalo está morto.

7 . Criar um programa de treinamento para aumentar a capacidade de cavalgar.

8 . Contratar uma agência de publicidade para relançar o cavalo morto. Fazer um website para o cavalo morto

9 . Colocar vários cavalos mortos juntos para aumentar a velocidade.

10 . Comprar produtos que façam o cavalo morto galopar mais rápido.

11 . Reduzir os padrões de desempenho para que o cavalo morto seja considerado.

12 . Promover o cavalo morto a uma posição de gerência.

É comum, na maioria das empresas, ver dirigentes tentando ressuscitar os cavalos mortos. Com certeza todos nós conhecemos organizações que aplicam essas estratégias diante de situações críticas.

Também é comum encontrar organizações comandadas por cavalos mortos.

A dura lei dos negócios diz que é necessário evoluir continuamente para sobreviver.

O sucesso empresarial, para ser mantido, exige que sejam identificados e removidos, sem complacência e rapidamente , os obstáculos que retardam a evolução competitiva e financeira, sejam eles quais forem.

Construir a empresa do futuro exige que se modifique a empresa de hoje.

Para desmontar de um cavalo morto é preciso, antes de mais nada, ter a coragem de reconhecer que o cavalo morreu.

É preciso reconhecer quando um processo tornou-se ineficiente, quando um produto recentemente adquirido não atende nossas necessidades ou quando uma pessoa que muito estimamos causa problemas para os negócios.

Para dar continuidade à nossa jornada é preciso apear e descartar o cavalo, os processos, os produtos ou as pessoas, por mais úteis e estimados que tenham sido. É uma questão de evoluir ou fracassar.

O desenvolvimento empresarial exige inovação contínua , novas políticas e o descarte de práticas profundamente arraigadas em sua cultura e sistemas de trabalho.

Moral da história:

Nenhuma organização atinge seus objetivos utilizando recursos inadequados. Organizações competitivas são aquelas que não aceitam a negligência, a imprudência e a imperícia de seus dirigentes.

E agora ? Voce vai dar o primeiro passo para sair desta situação ?


Enviado por : Wilson Giglio (Consultor em Gestão Empresarial, Palestrante, Escritor e Professor de empresários)

Nenhum comentário:

Postar um comentário