segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Cuidado: cai um raio para cada quatro habitantes





A cada ano, 50 milhões de raios atingem o Brasil (média de um raio para cada quatro habitantes) – e São Paulo está entre os Estados em que esse fenômeno mais causa acidentes fatais 

O raio dura menos de um segundo, mas sua intensidade é de 30 mil amperes, equivalente a mil vezes o choque provocado por um chuveiro elétrico .

A cada ano, 50 milhões de raios atingem o Brasil (média de um raio para cada quatro habitantes) – e São Paulo está entre os Estados em que esse fenômeno mais causa acidentes fatais. 

O raio é uma descarga elétrica de grande intensidade que ocorre entre nuvens ou entre uma nuvem e a Terra. Dura menos de um segundo, mas sua intensidade é de 30 mil amperes, equivalente a mil vezes o choque provocado por um chuveiro elétrico. 

A temperatura pode chegar a 6 mil graus – (tão alta quanto à da superfície do Sol).

Por isso, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil orienta sobre como agir durante essas situações, lembrando que a proteção depende essencialmente do comportamento da população. Nem é necessário estar chovendo para cair um raio.

Nuvens carregadas mais próximas também são sinal de perigo. Em descampado, por exemplo, como um campo de futebol, o raio atinge o ponto mais alto (as traves do gol, pessoas, ou mesmo árvores situadas nas proximidades). Nesses casos, o importante é buscar abrigo seguro.



Dicas da Defesa Civil durante uma tempestade: 


Fora de casa: procure abrigo em edifício, residência ou em instalação subterrânea, como o Metrô; permanecer dentro de veículo, com vidros fechados, sem contato com partes metálicas; evitar lugares abertos, como estacionamentos, praias, campos de futebol; sair imediatamente de rio, mar, lago ou piscina; manter distância de objetos altos e isolados, como árvores, postes, quiosques, caixas-d’água, além de objetos metálicos grandes e expostos, como tratores, escadas, cercas de arame; evitar soltar pipas e não carregar objetos, como canos e varas de pesca; não andar de bicicleta, motocicleta ou a cavalo; se não houver nenhum abrigo por perto, ficar agachado com os pés juntos, curvado para frente, colocando as mãos nos joelhos e a cabeça entre eles até a tempestade passar; não deitar no chão.

Em casa:  mantenha distância de aparelhos e objetos ligados à rede elétrica, como TVs, geladeiras e fogões; evitar o uso de telefone (a menos que seja sem fio ou celular); afastar-se de janelas, tomadas, torneiras, canos elétricos e evitar tomar banho.

Fonte: Governo de São Paulo  

Nenhum comentário:

Postar um comentário