quarta-feira, 26 de junho de 2013

Revista alemã compara protestos no Brasil à revolta que derrubou Muro de Berlim

"Der Spiegel" traça paralelo entre os dois movimentos. Semanário "Die Zeit" diz que brasileiros realizam algo que "sul-africanos e alemães não se atreveram a fazer". Discurso de Dilma também é destaque na mídia alemã.

Danke, Brasilien! ("Obrigado, Brasil!") é o título do artigo opinativo publicado neste sábado (22/06) pelo site no respeitado semanário Die Zeit, em que o repórter afirma que os brasileiros "prestam um grande favor ao mundo", mostrando não só uma prova "do amadurecimento democrático de um país" mas também dando uma lição à Federação Internacional de Futebol.

"Finalmente, uma democracia se revolta contra uma profundamente antidemocrática Fifa. O que a África do Sul e mesmo a Alemanha não se atreveram a fazer, é realizado agora por um país emergente que luta por seu lugar no mundo", constata o jornalista do Die Zeit.

 

Festa em Berlim, após queda do Muro: "nós somos o povo" foi lema da revolta 

Já uma análise publicada pela versão online da revista Der Spiegel afirma que a revolta dos brasileiros também tem como alvo a Fifa, organização "considerada por muitos como sinônimo de nepotismo e corrupção e de negócios sem escrúpulos" e também contra os "criminosos cartolas brasileiros", que "há décadas decidem o rumo das coisas e dos quais faz parte o antecessor de Blatter (na presidência da Fifa), João Havelange".

Oferta de diálogo:

O texto ressalta que "o que está acontecendo hoje no Brasil é algo totalmente novo" para a entidade. "Pela primeira vez, o povo, que paga por essa Copa do Mundo da Fifa (e também pelos Jogos Olímpicos de 2016), se revolta", ressalta o artigo. E, com ele, também os jogadores. "'Nós somos o povo', disse Luiz Felipe Scolari'". 

O autor lembra que essa mesma frase foi o lema gritado por "centenas de milhões de pessoas" nas famosas passeatas de Leipzig. 

"Poucos dias depois, o Muro caia, e era destituído um ditador, que sempre abusou do esporte como um veículo de propaganda", compara.

Outro destaque na mídia alemã no sábado foi discurso da presidente do Brasil, Dilma Rousseff, oferecendo diálogo aos manifestantes e propondo um "grande pacto" com governadores e prefeitos, além de mais dinheiro para saúde, transportes e educação, conforme noticia a reportagem intitulada Dilma Rousseff promete mais dinheiro aos brasileiros, publicada pelo site do jornal conservador Die Welt.
 

Discurso na TV da presidente Dilma Rousseff foi tema nos jornais alemães


Segurança do torneio ameaçada:

Os veículos alemães também ressaltam que os tumultos já comprometem a diretamente segurança das Copa das Confederações e irritaram Luiz Felipe Scolari. 

Alguns veículos deram destaque, neste sábado, à notícia de que o técnico da seleção brasileira foi obrigado a fechar os portões nos treinos de sua equipe "devido a uma repreensão da Fifa".

Uma reportagem publicada pela agência alemã DPA e reproduzida em diversos portais afirma que a nova medida vem mesmo depois que "a Fifa desmentiu que fosse reforçar sua política de segurança (para o torneio), por causa dos protestos no Brasil". 

O técnico italiano, Cesare Prandelli, também reclama, segundo a mesma fonte, dizendo que foi proibido de deixar o hotel, tanto em Recife como em Salvador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário