quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

As paixões que cercam o vinho na vida e na arte














Desvendando os sentidos, especialmente o da emoção, a Dal Pizzol Vinhos Finos, localizada em Bento Gonçalves (RS) realiza desde 2011 uma exclusiva degustação às cegas, proporcionando aos turistas uma verdadeira viagem pelo mundo do vinho, embalada por sentimentos gerados em torno deste universo.

Cheio de particularidades, o vinho carrega consigo histórias familiares, sentimentos e sensações. Ou seja, a bebida, é sobretudo, a expressão de muita paixão.

A minissérie Amores Roubados, exibida pela Rede Globo, é um exemplo deste cotidiano vivido na vinícola. A produção apresenta, por meio de argumentos novelescos, além de fantasia, muita realidade, ligando o dia a dia ao fascínio da televisão.

A experiência pode ser vivida na prática por qualquer pessoa que deseja ampliar seu conhecimento em torno do mundo do vinho e viver uma experiência única.

Basta formar um pequeno grupo e fazer reserva junto a vinícola, que fica instalada na Rota das Cantinas Históricas, em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, principal região produtora do país.

A degustação é conduzida por um enólogo, que conduz cada apreciador a despertar sensações, reviver lembranças. São experiências que trazem inúmeras surpresas. E satisfazer curiosidades foi o desafio que provocou a Dal Pizzol Vinhos Finos a apostar na atração.



Cada participante é convidado a vendar os olhos e explorar seus sentidos numa experiência que, acima de tudo, desperta emoções.

Somente depois de passear por lugares imaginários e provar o vinho, ele retira a venda dos olhos – bandana de tecido – e completa sua vivência.

Além do tato, audição, olfato, paladar e por fim a visão, o apreciador descobre um sexto sentido: o das emoções. Essa experimentação está diretamente ligada com o momento presente, sentindo a respiração, a batida do coração, o movimento e a sinergia, traduzidos em emoção, prazer, inspiração e satisfação.

A prática permite ao degustador reviver lembranças, traduzidas em percepções do momento, mas que resgatam memórias particulares.

“O turista não quer mais ser um sujeito meramente contemplativo, mas sim o ator de sua própria experiência”, destaca Dirceu Scottá, enólogo da empresa.

Ele esclarece que a novidade é mais uma forma encontrada pela vinícola de surpreender e oportunizar ao apreciador da bebida a chance de experimentar com mais intensidade a arte de degustar um vinho.

“O turista quer se emocionar. Ele não busca apenas um local para desfrutar seu período de férias. Ele quer, acima de tudo, uma experiência única. Fazer parte efetivamente do roteiro, dos costumes, das atividades”, afirma o enólogo.


Enviado por: Lucinara Masiero / Fotos: Fabiano Mazzotti

Nenhum comentário:

Postar um comentário