sexta-feira, 1 de agosto de 2014

O pato-mergulhão é uma das 10 aves aquáticas mais ameaçadas de extinção no mundo


O Programa Pato-Mergulhão, desenvolvido pelo Instituto Terra Brasilis, monitorou, nesta estação reprodutiva, três ninhos e acompanhou o nascimento de 13 filhotes da espécie, até o momento, na Serra da Canastra, Minas Gerais.
A espécie, que é extremamente rara e é uma das 10 aves aquáticas mais ameaçadas de extinção no mundo, tem seu período de reprodução entre os meses de maio e julho.

Nesta temporada, os biólogos do Instituto Terra Brasilis tiveram que lidar com uma situação inédita, em aproximadamente 13 anos de estudos e pesquisas da espécie.

Durante o monitoramento de um dos ninhos em atividade, a equipe do Instituto Terra Brasilis encontrou um filhote de pato-mergulhão que se separou da família logo após seu nascimento.

Os biólogos avaliaram as condições de sobrevivência do filhote na natureza e decidiram encaminhá-lo para o cativeiro, onde teria maior probabilidade de sobreviver. 


O filhote foi levado para o Zooparque Itatiba, em Itatiba – SP, conforme estabelecido pelo grupo de criação em cativeiro do Plano de Ação para a Conservação da espécie, aonde a ave está se desenvolvendo bem, ganhando peso e sendo acompanhado de perto por especialistas.

Esta foi a segunda vez que um indivíduo da espécie é criado fora do seu ambiente natural. Em 2011, um casal de patos-mergulhão nasceu em cativeiro na cidade de Poços de Caldas/MG. 

Com o apoio do Terra Brasilis e autorização do ICMBio, os ovos foram coletados na Serra da Canastra e levados para uma incubadora artificial. O nascimento de filhotes em cativeiro nunca havia sido registrado em todo o mundo.


Enviado por : Marcelo Moreira / Fotos : Adriano Gambarini 

Nenhum comentário:

Postar um comentário