sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Água Subterrânea pode minimizar crise da água em SP


A Água Subterrânea é o quarto manancial em volume que abastece a RMS - Região Metropolitana de São Paulo. Existem mais de oito mil poços em produção, sendo que a atividade privada é a que mais faz sua utilização. Especialista alerta para a falta de planejamento e diz que água subterrânea também já sofre restrições com a contaminação, principalmente de postos de gasolina. Crise em SP faz Haddad abrir poços artesianos para "emergência"

Estima-se que mais de oito mil poços estejam abastecendo a Região Metropolitana de São Paulo. Com um volume total estimado em 10 m³/s, a vazão desses poços equivale a 36 milhões de litros por hora. 

"A maioria desse recurso vai para a atividade privada", explica o geólogo Carlos Giampá, especialista e conselheiro vitalício da ABAS - Associação Brasileira de Águas Subterrâneas.

O geólogo também faz parte do CRH - Conselho Estadual de Recursos Hídricos, órgão consultivo formado por entidades da sociedade civil, do estado e municípios e que integra as ações da Secretaria Estadual de mesmo nome. 

"Existem locais em São Paulo que com 400 a 500 metros ainda encontramos água, óbvio que não na mesma quantidade de cidades do interior como Bauru e Birigui", explica Giampá. 

"Nossos aqüíferos não têm o mesmo potencial que o Sistema Aquífero Guarani localizado em áreas do interior paulista.

"Temos dois tipos de aquíferos, um sedimentar e um fissurado, porém com capacidade de produção que podemos considerar de média a baixa vazão, que vem contribuindo para manter as atividades a que vem sendo destinados e contribuindo para minimizar as consequências dessa crise", completa.

Os principais usuários dessa água são as indústrias, os shoppings centers, clubes, escolas, hospitais e muitos condomínios residenciais que atualmente são os que mais vem incrementando a utilização dessa água.

O responsável por conceder licenças de perfuração e as outorgas do uso das águas subterrâneas é o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE). Após cinco anos é necessário fazer a revalidação, explica o geólogo.

Nesta semana, matéria veiculada na imprensa afirma que a gestão do prefeito Fernando Haddad vai contratar empresas para perfuração de poços para a utilização da água em unidades da prefeitura de São Paulo.


Contaminação e clandestinidade:

O especialista também afirma que existe uma grande quantidade de poços considerados clandestinos na cidade, perfurados sem licenciamento por empresas pouco confiáveis ou até mesmo também clandestinas, realizados sem os cuidados mínimos necessários.

"Também devemos estar atentos para o problema da contaminação", alerta Giampá. Nas áreas urbanas, os vazamentos dos postos de gasolina e utilização inadequada de produtos químicos e o chorume de aterros sanitários (já proibidos por lei) são alguns fatores de contaminação. 

A falta de saneamento básico e uso de fossas também contaminam o lençol freático chegando aos poços mal construídos e aos aquíferos.

"Na zona rural, já temos indícios de que a construção e o uso inadequado dos poços tem contaminado também os mananciais subterrâneos", completa. 

Entre as causas dessas contaminações estão o uso de defensivos agrícolas e os fertilizantes, principalmente os nitrogenados lixiviados que venham a penetrar diretamente nos poços.

"Por falta de cultura, sempre nos vimos como um país com água abundante, mas poucos estão preocupados com ela. As águas subterrâneas são importantes para a formação dos rios e grande parte do abastecimento no país. Se não houver planejamento e fiscalização, esse recurso também estará ameaçado com conseqüências terríveis", alerta.


- ABAS traz crise da água para o centro da discussão:

Em outubro, as águas subterrâneas vão emergirna rotina da capital mineira. O XVIII Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas acontece de 14 a 17 de outubro de 2014, no Minas Centro, em Belo Horizonte.Além das discussões científicas e legais sobre a utilização, extração e o uso da água, o evento vai transpor os limites do pavilhão e estreará a exposição gratuita "Venha conhecer o fundo do poço - a água e você", na Praça da Liberdade, na Savassi em Belo Horizonte.

O congresso acontece em conjunto com o XIX Encontro Nacional de Perfuradores de Poços e a VIII FENÁGUA - Feira Nacional da Água, e tem como tema central Água nas Minas e nas Gerais: Uma riqueza nacional. 

SERVIÇO:

XVIII Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas
XIX Encontro Nacional de Perfuradores de Poços
FENÁGUA - Feira Nacional da Água

Data: 14 a 17 de outubro de 2014

Local : Minas Centro, Belo Horizonte (MG)

Realização: ABAS - Associação Brasileira de Águas Subterrâneas

Patrocínio: ANA - Agência Nacional de Águas, Vale e Eurofins


Enviado por : Marcelo de Trói 

Nenhum comentário:

Postar um comentário