sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Unidades de Conservação preservam o habitat natural de centenas de espécies


No dia 22 de setembro, celebra-se o Dia Nacional de Defesa da Fauna. Apesar de possuir uma das maiores biodiversidades do planeta, o Brasil tem perdido muitas de suas espécies devido ao desmatamento, poluição, ocupação humana, caça, pesca predatória e biopirataria.

Neste ano a Lista de Fauna Ameaçada do Estado de São Paulo elenca 229 espécies ameaçadas e 124 quase ameaçadas, incluindo mamíferos, aves, répteis, anfíbios, peixes e invertebrados.

Visando defender a biodiversidade no estado de São Paulo, a Fundação Florestal, por meio de suas Unidades de Conservação, busca proteger e cuidar do habitat natural, bem como coibir as práticas que ameaçam a sobrevivência das espécies.

As Unidades de Conservação da Natureza (UCs) são espaços territoriais terrestres e marinhos especialmente protegidos por sua importância ecológica, e a preservação e o uso sustentável de seus recursos desempenham um papel fundamental para a manutenção da diversidade biológica.

Em todos os ecossistemas presentes e remanescentes no Estado - Mata Atlântica, incluindo restinga e manguezais, Cerrado e Mata de Araucárias – há Unidades de Conservação. Ao todo, são 94 UCs espalhadas por todo o Estado, entre Áreas de Preservação Ambiental, Florestas Estaduais, Reservas e Parques Estaduais, além de Reservas Extrativistas e de Desenvolvimento Sustentável, entre outras modalidades.

Muitos destes redutos naturais estão abertos à visitação, sempre com foco na conscientização ambiental e pesquisas científicas, e proporcionando um espaço de bem estar que nos aproxima da natureza de maneira singular. 


Confira abaixo algumas Unidades de Conservação de diferentes ecossistemas, os animais que preserva e o modo de conhecer. Com respeito ao meio ambiente e alguma sorte é possível avistar espécies incríveis em seu habitat natural!


- Parque Estadual de Campos do Jordão (PECJ)

O PECJ, conhecido regionalmente como Horto Florestal, possui uma área de 8.341 hectares e ocupa um terço da superfície municipal. Abriga importante remanescente da Mata Atlântica, num mosaico com três fisionomias básicas: a Mata de Araucária e Podocarpus, os Campos de Altitude e a Mata Nebular.

Estes ambientes contam com uma riquíssima fauna, com mais de 186 espécies de aves catalogadas e animais ameaçados de extinção, como a onça parda, a jaguatirica e o papagaio-de-peito-roxo.Possui seis atrativos ecoturísticos, com diferentes níveis de dificuldade que atendem desde o público infantil até os aventureiros com bom preparo físico e atletas.

- Serviço:

O Parque Estadual Campos do Jordão está aberto ao público diariamente, das 9h às 16h, exceto às quartas-feiras. Durante a temporadade inverno (junho e julho), o parque abre todos os dias. Para fazer as trilhas, é necessário agendar antecipadamente.


- Parque Estadual Marinho Laje de Santos

O Parque Estadual Marinho Laje de Santos é uma Unidade de Conservação (UC) de Proteção Integral, foi criado em 1993, com o objetivo deproteger partes importantes do ambiente marinho do litoral de São Paulo. Possui 5.000 hectares e é o primeiro parque marinho a integrar o conjunto de Unidades de Conservação do Estado de São Paulo.

Está inserido no Setor Itaguaçu, da Área de Proteção Ambiental Marinha Litoral Centro (APAMLC) e forma um cinturão de proteção com 55.000 ha no entorno do PEMLS. Esta área é de restrição máxima à atividade pesqueira, onde não é permitida nenhuma modalidade de pesca.

São mais de 190 espécies de peixes identificadas, entre eles, o animal símbolo do parque: a raia manta (Manta birostris). Ela pode chegar a sete metros de largura e pesar mais de 1.300 kg. As aves marinhas também estão presentes: Atobá-marrom, Gaivotão, Fragatas e Trinta-réis-de-bico-vermelho são algumas das espécies que podem ser avistadas. Além disso, tartarugas, baleias, pinguins, tubarões e golfinhos também são presença frequente neste ambiente preservado.

- Serviço

O Parque Estadual Marinho Laje de Santos é considerado um dos principais pontos de mergulho e fotografia submarina do país, por ser um local com grande transparência de suas águas, que pode alcançar 35 metros de visibilidade e por apresentar uma grande diversidade de espécies.


- Parque Estadual Juquery

O Parque Estadual Juquery, em Franco da Rocha, abriga o último remanescente de Cerrado preservado na região Metropolitana de São Paulo. Tem como símbolos a Seriema, ave típica do cerrado e de fácil observação e o ovo da pata, ponto mais alto do Parque com 942 mde altitude.O Parque possui 2.058,09 com áreas de Mata Atlântica e Cerrado, onde abriga uma rica biodiversidade de plantas e animais.


- Serviço

Esta UC está aberta à visitação de terça-feira a domingo. Das 8h às 17h.


- Parque Estadual Jaraguá

O Parque Estadual Jaraguá possui 492 hectares e abriga um dos últimos remanescentes de Mata Atlântica da Região Metropolitana deSão Paulo. A palavra Jaraguá vem do tupi e significa “Senhor dos Vales”. 

Essa característica é marcante no Parque, que possui montanhas que chegam a 1.135 metros de altitude e podem ser visualizadas de várias partes da cidade. Isso caracteriza o Parque como um atrativo natural único da cidade de São Paulo. 


Nas trilhas do Parque é possível observar espécimes nativos da fauna como o macaco-prego, tucano-do-bico-verde, bicho-preguiça, além de belos exemplares da flora como o palmito-juçara, guapuruvu, ipê-amarelo, jatobá, dentre outros.


- Serviço:

O parque é aberto à visitação diariamente, das 7h às 17h. Trilhas possuem acesso permitido até as 16h00, e no horário de verão às 17h00.



Enviado por Fundação Florestal

Nenhum comentário:

Postar um comentário