terça-feira, 14 de abril de 2015

Dia Internacional da Sauvignon Blanc


Em 1973, quando as primeiras videiras da Sauvignon Blanc foram plantadas na região de Marlborough, no extremo norte da Ilha Sul da Nova Zelândia, ninguém poderia imaginar o sucesso que suas uvas fariam algumas décadas mais tarde. 

Os sabores marcantes da Sauvignon Blanc neozelandesa há muito tempo deslumbram críticos de todo o mundo, o que pouco a pouco tornou a uva referência internacional quando se fala de vinho.

Para marcar a importância desta casta para o setor no país, a NZ Winegrowers celebra no dia 24 de abril de 2015 o Dia Internacional da Sauvignon Blanc.

Região de Marlborough:

Não importa como você chega a Marlborough, por via aérea ou terrestre, uma coisa é certa: é difícil não se deslumbrar com sua paisagem, marcada por um mar de videiras. Desde a década de 70, quando começou a ser explorada por produtores de vinho, o local converteu-se em um cartão postal da Nova Zelândia. 

Marlborough é a maior região vinícola em crescimento no país e berço da Sauvignon Blanc. Existem mais de cem vinícolas por ali, entre elas a famosa Cloudy Bay Vineyards, uma das exportadoras de maior sucesso, e a Allan Scott Wines and Estates, pioneira na plantação de uvas na região.

Blenheim é a maior cidade na região de Marlborough e uma ótima base para quem quer explorar seus arredores. Ali, as montanhas emolduram a área e detêm o calor do verão (temperaturas acima de 30°C são absolutamente normais em fevereiro e março). Você também encontrará uma agradável seleção de cafés, restaurantes, bares, lojas, mercados de alimentos artesanais e campos de golfe.

Toda a região desfruta de altas horas de sol e de um clima temperado e muitos dos vinhedos se alinham nos vales Wairau e Awatere, que são vastas áreas planas perfeitas para um tranquilo passeio de bicicleta.

A Rota do Vinho:

Os aficionados por vinho também podem explorar outras variedades de uva da Nova Zelândia. Na Ilha Norte, por exemplo, são produzidos tintos encorpados, a exemplo do Merlot. Já a região de Auckland, maior cidade do país, destaca-se pela produção de Cabernet Sauvignon. Waikato, Bay of Plenty, Gisborne e Hawke’s produzem bons Chardonnays. Em Wairapapa e Central Otago, o foco é a uva Pinot Noir. De Nelson e Canterbury saem Chardonnay, Pinot Noir e Riesling.

Quem quiser conhecer um pouco de tudo pode circular pela Classic New Zealand Wine Trail, com distância total de 380 km. A Rota do Vinho pode ser facilmente percorrida de carro e é ideal para aqueles que procuram um caminho fora do comum. A viagem passa por cinco das regiões mais interessantes do país.


Onde encontrar?
Nas lojas de importadoras brasileiras, é possível encontrar diversos rótulos de Sauvignon Blanc da Nova Zelândia. 
Entre eles, o Pania New Zealand, com 13,4% de graduação alcoólica, o Ara Single Vineyard, leve e refrescante, e o Jules Taylor, ótimo para acompanhar pratos de peixes e frutos do mar. 

Outros destaques são o The Crossings, com notas cítricas e acidez marcante, e o Wild Rock The Infamous Goose, que exibe um toque marcante de ervas frescas.

Fonte: Fernanda de Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário