sexta-feira, 15 de maio de 2015

Aruba é modelo de sustentabilidade


Com várias regiões do Brasil enfrentando dificuldades na distribuição de água e abastecimento hídrico, as atenções voltam-se para lugares e alternativas bem-sucedidas. Aruba, ilha caribenha com 110 mil habitantes, é um desses exemplos. Seus 181 km2 não dispõem de fontes de água doce como água subterrânea, rios ou lagos.

Por isso, o país utiliza um processo de dessalinização desde 1932, que foi aperfeiçoado ao máximo. Primeiro, a água é coletada diretamente do oceano e filtrada, até se tornar limpa. Porém, mesmo limpa, essa água contém 6.000 vezes mais sal do que a água doce. 


Por isso, ela passa pelos processos de destilação multiestágios e osmose inversa, em que o sal é separado da água pelo controle da temperatura e pressão, até que seu nível de sal esteja bom. 

A água passa, então, pela remineralização, dando a ela os minerais exigidos pelos mais rígidos padrões de qualidade e também melhorando o sabor. Por fim, são adicionados fosfatos que impedem a contaminação no transporte e a água é desinfetada com raios ultravioleta.

A ilha inteira é abastecida com a mesma água que é engarrafada, de forma que a água da torneira não é apenas potável, mas uma das melhores do mundo, mesmo entre as marcas conhecidas de água mineral.

“Além de todo o cuidado ambiental que temos ao longo do processo, procuramos diversificar as fontes de energia na produção de água na ilha. Privilegiamos as renováveis para estar em sintonia com o objetivo de sustentabilidade da ilha”, explica Richard Frank, gerente de produção da WEB Aruba, empresa responsável pela geração de água e energia na ilha. 




Assim, a produção hídrica consciente não é a única medida sustentável adotada por Aruba. Muito engajada com a causa ambiental, a ilha foi vencedora do prêmio “Destino Líder” em soluções de sustentabilidade pela National Geographic por difundir o pensamento ecologicamente correto entre os seus habitantes e visitantes e promover diversas iniciativas de preservação de energia.

A economia de água é básica e essencial entre os moradores, assim como a de energia. Isso porque o uso eficiente dos recursos é altamente encorajado. 

Aruba quer ser o primeiro país do mundo a ser totalmente independente de combustíveis fósseis até 2020. Para isso, o governo investe principalmente em energia eólica, uma vez que Aruba acumula 5.000 horas de vento ao ano. 


A ilha já conta com um parque eólico em funcionamento e outro em construção, que produzirá ainda mais que o primeiro. Além disso, são usadas placas de captação de energia solar e produção de energia a partir de resíduos, que não só supre parte da demanda energética, mas também destina corretamente o lixo não-reciclável.

Para promover o pensamento verde, Aruba tem projetos em escolas, para instruir estudantes, e uma certificação para profissionais de turismo. Outra ação voltada para o incentivo da população é a diminuição de tarifas de produtos ecofriendly, como carros elétricos e eletrônicos energeticamente eficientes.

No campo da preservação dos recursos naturais são feitas limpezas mensais na costa para manter as praias e recifes sempre limpos. Projetos conscientes cuidam de animais machucados e doentes, e a Fundação Turtugaruba trabalha ativamente na preservação das várias espécies de tartarugas nativas da ilha.

Tudo isso é feito pensando não só na prosperidade, mas também no bem-estar de moradores e visitantes, e principalmente no futuro da ilha. É um exemplo a ser seguido não apenas pelo Brasil, mas pelo mundo todo.



Sobre a ilha de Aruba :

Com 110 mil habitantes e localizada ao norte da Venezuela, a ilha de Aruba, no Caribe, é conhecida por suas águas claras e areia branca. Oferece infraestrutura completa de lazer, com 28 hotéis e resorts ao longo da costa oeste, spas, cassinos e campos de golfe - sendo um profissional com 18 buracos. 

Além disso, a Ilha Feliz, como é conhecido o país, apresenta gastronomia internacional variada e diferentes opções de compras. Atividades para toda a família estão disponíveis em terra firme, com passeios e visitas pela ilha, e também na água, com mergulho em seu mar cristalino e esportes aquáticos. Sua localização privilegiada mantém o clima a agradáveis 28 ºC quase todo o ano e fora da rota de furacões. Turistas brasileiros não precisam de visto para entrada no país.


Fonte: Natasha Sá Osório

Nenhum comentário:

Postar um comentário