quinta-feira, 21 de maio de 2015

Brasil diversifica destinos de eventos internacionais



Congressos e convenções aconteceram em 61 cidades brasileiras em 2014. Turista do Segmento MICE movimenta a economia com gastos per capita até 4 vezes maior do que viajante a lazer

O número de cidades brasileiras que receberam eventos internacionais em 2014 registrou crescimento em relação a 2013. Conforme dados divulgados hoje na Holanda pela ICCA (Internacional Congress and Convention Association), 61 municípios receberam eventos internacionais em 2014 contra 55 no ano anterior. O anúncio oficial será feito durante a feira IMEX, que acontece na Alemanha agora em maio.

A região Sudeste, que tem São Paulo e Rio de Janeiro como principais destinos turísticos dos estrangeiros, receberam 161 eventos em 27 diferentes cidades. Entre os 61 locais listados no ranking do ICCA, sete cidades de quatro estados foram sede de eventos internacionais pela primeira vez. 


“É muito bom que novas cidades entrem neste ranking. Isso é fruto de um trabalho em parceria com estados, municípios e o trade turístico que estamos fazendo para diversificar os destinos e produtos turísticos brasileiros”, ressaltou Vicente Neto, presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo).

A qualidade dos equipamentos brasileiros é uma das condições primordiais para que o Brasil realize eventos internacionais. “Hoje temos excelentes espaços para sediar grandes congressos e feiras, como hotéis e centros de convenções com toda a infraestrutura e tecnologia necessárias espalhados por todo o País. Essa diversificação aumenta a chance de termos cada vez mais importantes congressos internacionais acontecendo em todas as regiões do Brasil”, destacou o presidente da Embratur.

Os eventos do segmento MICE (Meetings, Incentive, Congress and Events) classificados pela ICCA tem grande importância para a economia do turismo, movimentando cerca de US$ 30 bilhões em todo o mundo. 


Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas, a pedido da Embratur em 2014, revela que os turistas de Negócios e Eventos gastam em média US$ 329,39 por dia no Brasil. 

Para se ter uma ideia, esse número é quatro vezes maior que as despesas dos visitantes internacionais que visitam o País em viagens de Lazer, que tem um gasto diário de US$ 73,77.

A Embratur, por meio da gerência de Congressos, Negócios e Incentivo da diretoria de Produtos e Destinos (DPROD), apoia a captação de eventos internacionais para o Brasil. Um desses casos foi o Congresso da Sociedade Internacional de Cirurgia Ortopédica e Traumatologia (SICOT, na sigla em inglês), que levou 4.900 participantes do mundo inteiro ao Rio de Janeiro no ano passado.

Na região Centro-Oeste, a cidade de Bonito (MS) destacou-se por sediar um dos mais importantes eventos mundiais do segmento de Ecoturismo. A Conferência Global de Ecoturismo e Turismo Sustentável (ESTC na sigla em inglês) estava sendo disputada por outras oito cidades de todo o mundo. Na América do Sul, a concorrente mais forte era Quito, capital do Equador. Captada e promovida com apoio da Embratur, a conferência recebeu cerca de 550 participantes de 60 países.

Os Estados do Nordeste receberam 50 eventos em 13 diferentes cidades. Salvador, Fortaleza, Natal e João Pessoa estão entre as capitais que receberam grande número de turistas que participaram de congressos, simpósios e convenções.

A Copa de 2014, que não entra no ranking da ICCA, acabou beneficiando cidades próximas das sedes do torneio. É o caso de Porto de Galinhas (PE), João Pessoa (PB), Campinas (SP), Londrina (PR) e Niterói (RJ). 

“Essas cidades souberam aproveitar a grande exposição que o País teve no ano passado, além da melhoria na infraestrutura local com mais e melhores aeroportos e hotéis, e conseguiram se promover internacionalmente, sediando importantes congressos e convenções”, ressaltou Vicente Neto.

Os eventos realizados no Brasil abrangem diversas áreas de estudos e conhecimentos. Medicina e tecnologia lideraram com 53 e 34 congressos respectivamente. Mas o País também sediou eventos nas áreas de sociologia, botânica, educação, indústria, ciências, economia, jurídica, transporte, cultura, arquitetura, entre outras. 


“Estamos entre os 10 primeiros colocados no ranking da ICCA e com a exposição que o Brasil continua tendo como sede das próximas Olimpíadas, acredito que iremos sediar ainda mais eventos internacionais neste e nos próximos anos, consolidando a vocação do País como grande Destino de eventos”, disse Neto.

Fonte: Embratur







(61) 2023-8569/8517/8555

Nenhum comentário:

Postar um comentário