quarta-feira, 27 de maio de 2015

Pequenos negócios movimentam o turismo no Brasil


Se para a economia nacional as micro e pequenas empresas desempenham papel fundamental, com uma participação de 27% no Produto Interno Bruto, quando se considera apenas o setor de turismo elas são ainda mais importantes. 

Dados do Ministério do Turismo mostram que, dos 41,3 mil prestadores de serviços registrados no Cadastro Nacional dos Prestadores de Serviços Turísticos, o Cadastur, 95% são classificados como micro e pequenas ou microempreendedores individuais.

Entre os estabelecimentos estão comércios, agências de viagens e albergues, além de diversos prestadores de serviço da cadeia econômica do turismo. 


Uma pesquisa da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (Abeoc) reforça a importância dos pequenos empreendimentos, que correspondem a 76,8% do segmento.

André Spínola, gerente de Atendimento Setorial Serviços do Sebrae Nacional, afirma que o turismo é uma atividade onde as micro e pequenas empresas se destacam. 

“Elas representam cerca de 90% dos estabelecimentos que atuam nos diversos elos dessa cadeia”, diz. 

Segundo Spínola, o turismo é uma atividade transversal e coletiva e, devido a isso, um dos desafios para o setor é criar um ambiente que promova o desenvolvimento local sustentável, por meio da profissionalização, fortalecimento e estruturação da gestão turística.

Tatiana Petra e Patrícia Herzog são sócias de uma pequena empresa que oferece, desde 2013, roteiros focados na identidade local de Brasília (DF). 

As turismólogas contam que a ideia de abrir o negócio surgiu a partir de um desejo que tinham em conectar visitantes e moradores. 

Direcionada ao turismo criativo, a empresa delas oferece passeios não tradicionais por pontos indicados pelos próprios moradores. Os roteiros incluem visitas a pé, de bicicleta e até de balão.

“Temos um time de colaboradores e anfitriões todos microempreendedores. O maior desafio das pequenas empresas no turismo não é só inovar, mas sustentar o negócio com profissionalismo seguindo os padrões legais exigidos pelo setor”, diz Tatiana. Atualmente, a empresa é parceira de cerca de 20 microempreendedores individuais.

Menos burocracia:

A fim de facilitar a atuação dos pequenos negócios, o Ministério do Turismo e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa firmaram, em novembro de 2014, um acordo de cooperação técnica que permite compartilhar informações e simplificar registros de empresas turísticas no Cadastur, com objetivo de reduzir a burocracia – considera uma das grandes barreiras à formalização dos empreendimentos. 

Além disso, a pasta oferece por meio do Fundo Geral do Turismo para Empresas (Fungetur) financiamentos de até R$ 10 milhões a investidores que queiram ampliar ou abrir novos empreendimentos turísticos.


Fonte: MTur / Gustavo Henrique Braga

Nenhum comentário:

Postar um comentário