quarta-feira, 25 de novembro de 2015

O que é uma empresa socialmente responsável ?


As empresas que pretendem se adequar aos novos tempos e assumirem maiores responsabilidades perante a sociedade encontram inúmeros desafios para se tornarem cada vez mais socialmente responsáveis. 

No entanto são barreiras que devem ser superadas pois a realidade é que nos diversos cenários possíveis, em futuro próximo, a sustentabilidade deve envolver todo o negócio e deverá ser incorporada permanentemente na missão e nas estratégias da empresa.

A tendência pela demanda de produtos verdes é irreversível devido à degradação histórica do ambiente natural, que coloca em risco a nossa sobrevivência e ameaça os diversos ecossistemas que dão sustentação à vida. 


Essa situação foi causada pela geração de produtos não renováveis ou contaminantes que destroem a possibilidade de regeneração natural. 

Além disso a industrialização gerou ao longo do tempo um aumento de gases efeito estufa que está provocando um enorme aquecimento planetário, gerando mudanças climáticas que afetam milhões de pessoas e que ameaça nosso modo de vida, podendo provocar o desaparecimento de muitas comunidades ao redor do mundo.

Esse quadro amplamente divulgado pela mídia, provoca um aumento da consciência ambiental entre os consumidores, gerando um crescimento na procura por produtos verdes. 


Muitas empresas, por sua vez, entram no mercado com esses produtos porque está aumentando a demanda e também porque seus grupos de interesse (stakeholders) exigem uma atitude mais responsável das companhias.

Ocorre que há uma enorme diferença entre uma empresa que vende produtos verdes e por outro lado, ser uma “empresa verde”. 


Um negócio sustentável tem a ver com produtos que comercializa, com a cultura interna da empresa, com a sua missão e estratégia, com o sentimento de identificação com a empresa que têm seus funcionários e com a transparência corporativa. 

Assim, a sustentabilidade deve ser entendida como um conceito holístico e sistêmico, não uma atividade eventual, que se realiza de vez em quando, ou de acordo com as conveniências.

Uma empresa verde incorpora seus valores em tudo o que faz e não somente em seus produtos, que são apenas um aspecto de seu negócio. A questão central é qual vai ser a opção dos consumidores, na medida em que aumenta a sua compreensão dos problemas que enfrentamos como seres humanos? 
Tenderão a adquirir um produto no qual os valores do produto são o reflexo dos valores da empresa ou preferirão um produto verde de uma empresa que o criou porque existem interessados em adquiri-lo?

A resposta a essa pergunta direcionará a tomada de decisão das empresas em relação a como deverão se envolver com a sustentabilidade.

Uma empresa pode adotar inúmeros símbolos de sustentabilidade e no entanto não ser uma empresa socialmente responsável. Pode, por exemplo, reduzir o consumo de água e energia, ampliar o acesso da luz natural a seus ambientes internos, utilizar combustíveis híbridos nos veículos da empresa entre outros. No entanto esses símbolos não constituem uma prova de que a empresa é verdadeiramente sustentável.

Para ser sustentável é necessário que o negócio seja abordado em toda sua profundidade englobando desde as relações interpessoais até a relação da empresa com o planeta. 


A transparência deve ser ampla sobre os processos internos da organização, os recursos utilizados devem ser renováveis, a cadeia produtiva deve ser monitorada quanto à origem da matéria-prima utilizada e o impacto na mão de obra, a comunicação interna e externa deve ser priorizada.

Em resumo, a responsabilidade corporativa é uma perspectiva holística, baseada em sistemas. Não se trata de ter um grande produto, fazer caridade ou oferecer muitos benefícios aos empregados, mas sim focar seu próprio negócio a partir de uma perspectiva sistêmica para entender de que modo impacta a sociedade e o planeta, e garantir que a missão da empresa se oriente à criação de um mundo mais sustentável e justo. Tudo isso, sem descartar a obtenção dos melhores resultados nos indicadores tradicionais.


Fonte: Reinaldo Dias é professor da Universidade Mackenzie Campinas. É doutor em Ciências Sociais, mestre em Ciência Política pela Unicamp e especialista em Ciências Ambientais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário