terça-feira, 3 de novembro de 2015

Quais são as opções de visto para quem quer investir nos Estados Unidos?


O evento “Doing Business with Central Florida” teve como foco mostrar o potencial de negócios no ambiente corporativo da Flórida para os brasileiros, de real estate à área de saúde, entre outros. Realizado pelo governo do Estado, por meio da CFBACC (Câmara de Comércio Brasil Central Flórida). 

O evento reuniu 16 palestrantes que falaram sobre oportunidades de investimentos na região e esmiuçar questões técnicas como remessas de valores, processos necessários e imigração.

As atividades começaram com mais de 120 participantes, que assistiram a introdução da presidente da Câmara de Comércio Brasil Central Flórida, Laiz Rodrigues, contando mais sobre a imensidão de possibilidades para quem deseja ir para a Flórida, o quarto estado mais importante economicamente para os EUA e com maior crescimento da população, que hoje já chega a 2,3 milhões de pessoas, o que revela um aumento de 50 mil residentes nos últimos quatro anos. 

Um grande centro de negócios, que concentra empresas de todas as nacionalidades, assim como universidades e centros tecnológicos que formam profissionais especializados para o mundo todo.

A grande competitividade desse mercado, que hoje já fatura mais de US$ 100 bilhões, se deve ao alto número de incentivos do governo de Orlando e do governo do Condado Orange County, que oferecem fundos para hispânicos (incluindo brasileiros) com verbas para incentivar os pequenos negócios e fazem toda a orientação necessária, por meio de consultas com profissionais especializados, contratados pelo próprio governo americano para prestar esses serviços aos interessados em investir.

Para aproveitar essas possibilidades é essencial ter um Business Plan estruturado, conforme explicou Sonia Campos, diretora executiva da CMP Business Solutions. É fundamental ter as ideias do projeto estruturadas por diversas razões, mas principalmente para conseguir vendê-las para um investidor ou para obter crédito para viabilizar o seu negócio. 

As outras vantagens de documentar todas as informações é que isso ajudará a definir o futuro do negócio, os objetivos principais e secundárias, os concorrentes, as estratégias, as ações e também a medir os resultados. 

Além de todos esses benefícios, que tornam o plano de negócios mandatório, é necessário ser levado em consideração que a maioria dos processos de solicitação de vistos envolve a apresentação desse documento, assunto que foi explicado durante o evento pelo advogado especialista em imigração, Edward Beshara.

O especialista explicou que o visto mais recorrente para viabilizar os planos de brasileiros interessados em emigrar para os EUA para investir é o EB-5, cujo valor mínimo é de US$ 500 mil e possibilita a obtenção de um green card após dois anos. 

Beshara detalhou o processo para participação do programa desse visto, que segundo ele, não envolve uma gestão muito complexa e também não implica, em um primeiro momento, na obrigação de gerar receita para os negócios em desenvolvimento, nem de contratar funcionários imediatamente e não demanda de localização administrativa para a empresa americana.

Entretanto, o risco é que você precisa inicialmente começar o negócio e solicitar por meio de uma petição esse visto, o que não significa que ele será aprovado. Também deve ser considerado que é um processo longo, podendo durar até 16 meses. Porém, a grande vantagem é que com esse visto poder conseguir o green card para toda família (filhos e cônjuge). 

Já Gustavo Nicolau, Doutor em Direito Civil, comentou a importância de, após investir, não esquecer de fazer o planejamento sucessório, pois é essencial deixar definido como será dividido o seu patrimônio no futuro. 

“Quando tratado previamente reduzirá expressivamente as chances de problemas familiares na hora de fazer um inventário ou de um divórcio”, alerta Gustavo.

Por fim, Cristina Faria, fundadora da VIP Health Assistence Florida, contou sobre as oportunidades para profissionais de saúde interessados em atuar e se qualificar nos Estados Unidos. Há uma grande carência de profissionais da área e, por essa razão, o governo promove uma série de incentivos para os interessados. 

Na sequência, Juliana Scolari, especialista em transferência entre fundos e câmbios, esclareceu dúvidas dos participantes sobre as taxas aplicadas no processo de conversão cambial que devem ser considerados na hora de investir.

Depois foi a vez de Claudio Vinhote Costa, diretor executivo da Standout Languages e da OCA, que presta consultoria para empresas interessadas em emigrar para os Estados Unidos, explicar mais sobre o processo de obtenção de crédito para abrir negócios na América. 

Além disso, Jeffrey O'Neall, do US Commerce Department SP/Brazil, fez um passo-a-passo do processo para abrir um negócio no País. 

O fim das atividades do dia 27/10, foi marcado pela discussão sobre os últimos detalhes que devem ser considerados na hora de abrir uma empresa. Carolina Habash, da Infinity Accounting, questionou a plateia: Are you ready to do Business in US?

“Notamos que os participantes a cada dia do evento estão mais interessados em emigrar para a Flórida. Esse sonho começa a ganhar forma conforme adquirem informações dos especialistas sobre o processo de como investir e descobrem o quanto o governo da Flórida oferece incentivos e orientação nesse processo”, explica Laiz Rodrigues, presidente da CFBACC.

Na quarta-feira (28/10) a programação trouxe as palestras focadas no mercado imobiliário, que é uma área com grande participação de investimentos de brasileiros na Flórida e que reserva uma grande quantidade de oportunidades.

Fonte: Arianna Ortolani

Nenhum comentário:

Postar um comentário