sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Três parques aquáticos do Brasil inauguram novos brinquedos para o verão


Detentor da maior reserva de água doce no mundo, o Brasil transformou a riqueza natural em atrativo turístico. Os três melhores parques aquáticos do país, segundo o Trip Advisor, o Beach Park (CE); o Hot Park (GO) e as Thermas dos Laranjais (SP), inauguram novas atrações neste fim de ano. 

Na quinta-feira (12/11), o Hot Park apresentou o Hotibum, uma mega estrutura de 5,4 mil metros quadrados com piscinas, toboáguas e um balde com 12 metros de altura, que exigiu R$ 12,5 milhões de investimentos apenas este ano.

A inauguração ocorre menos de um mês após o Thermas dos Laranjais, em Olímpia (SP), também ter inaugurado uma nova atração: uma pista de surf em meia lua, que segundo os administradores do parque é a única do mundo. 

Já o Beach Park, próximo a Fortaleza, marcou para dezembro a inauguração do toboágua Vaikuntudo. Trata-se de uma descida que parte de uma torre de 25 metros de altura e passa por um enorme funil. Para adquirir a nova atração, o parque investiu R$ 35 milhões no brinquedo e em um espaço de convivência.

Somados, os o Hot Park e o Thermas dos Laranjais investiram mais de R$ 42 milhões e mobilizaram mais de 200 trabalhadores. A renovação, pautada pela tecnologia, se deve especialmente à redução de encargos da cadeia produtiva. 

A diminuição de tributos para os parques temáticos vale para importação de equipamentos sem similares no Brasil, uma conquista do Ministério do Turismo que já tem dois anos. A tarifa foi reduzida de 20% para 0%. Entre os equipamentos isentos estão peças em fibra de vidro para a montagem de tobogãs.

Os parques temáticos têm um grande potencial de crescimento, de acordo com o Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat). Recebem 12 milhões de visitantes por ano e faturam cerca de R$ 1,5 bilhão. 

Alain Baldacci, presidente Sindepat, afirma que a tecnologia tem sido o diferencial dos parques temáticos, pois proporciona às pessoas experimentar várias sensações. Entre os associados do Sindepat, o investimento em tecnologia é de, pelo menos, R$ 100 milhões por ano. 

Quase a totalidade desta tecnologia é comprada de fabricantes estrangeiros, que usam recursos desde a indústria aeronáutica à bélica.


Fonte: MTur

Nenhum comentário:

Postar um comentário