quinta-feira, 16 de junho de 2016

Rio de Janeiro sediou a 5ª edição Grande Prova Vinhos do Brasil


Mais de 850 vinhos - de oito estados brasileiros com participação de 110 vinícolas - foram colocados à prova durante a Grande Prova Vinhos do Brasil (GPVB), maior degustação às cegas (os degustadores não veem os vinhos que provam) do Brasil - que aconteceu nesta última semana, no Hotel Vila Galé, na Lapa, no Rio de Janeiro.

A prova chegou à sua 5ª edição e é consagrada como a maior referência dos vinhos do Brasil disponíveis no mercado. Neste ano, a prova revelou o potencial, qualidade e variedade dos vinhos brasileiros aos sentidos de um corpo de jurados de peso composto por profissionais de vários estados do Brasil e convidados internacionais.

Algumas categorias se destacaram e alguns rótulos já estão a caminho de se tornarem grandes estrelas nacionais, indicando tendências para os resultados que só serão anunciados em agosto, pelo Anuário Vinhos do Brasil 2016: são elas, a categoria Espumantes Extra-Brut e Nature (com zero de açúcar), com maior número de medalhas de ouro; os Tintos Super Premium (com cerca de 40 vinhos, que formam a elite dos tintos brasileiros), nova categoria deste ano; e nas categorias Suco Tinto e Suco Branco (apenas sucos integrais 100% uva, sem adição de água, açúcar, conservantes e aditivos) que também participaram de um concurso pela primeira vez na história. Entre os campeões, há vinhos de quatro estados e alguns totalmente desconhecidos.

Outra surpresa é que, pela primeira vez, um vinho feito no estado do Rio de Janeiro participou de um concurso - lembrando que 90% do vinho brasileiro é feito no Rio Grande do Sul.

“Os jurados estrangeiros se encantaram com os sucos de uva e com os nossos espumantes Moscatel, mas a maioria dos brasileiros ainda desconhece que o Brasil tenha tanta variedade de vinhos”, comenta Marcelo Copello, do Grupo BACO e presidente do júri Grande Prova Vinhos do Brasil (GPVB).

Grandes nomes que participaram da prova como Michel Friou (França, enólogo chefe da vinícola Almaviva (para muitos, um dos melhores vinhos da América Latina), jurado pela primeira vez da GPVB, sugeriu que se plante Merlot e não Cabernet Sauvignon, pelas condições climáticas do País. Também estreando no júri, o chileno Vladimir Veliz, do CanaldelVino.TV, se surpreendeu com a grande evolução do vinho brasileiro, sobretudo Espumantes e a qualidade de tintos e brancos, que foi uma grande surpresa. Ainda do Chile, Sebastián Rodrigues, enólogo da Concha y Toro, também se impressionou com Espumantes e com a qualidade dos produtos brasileiros.

- Novidades 2016:

Este ano, o certame trouxe algumas novidades, como as novas categorias Tintos Super Premium (acima de R$ 100), Best Buys (os mais bem pontuados até R$ 39,99), categorias especiais para espumantes elaborados pelo método tradicional (champenoise) e a inédita categoria de Suco de Uva integral.

“O recorde de amostras participantes nos deixa muito satisfeitos. Mais do que a quantidade, é importante observar a qualidade reinando em todas as categorias, em especial a Super Premium, que encantou os jurados, uma vez que até pouco tempo era impensável no Brasil ter vinhos tintos nacionais acima de R$ 100,00. 

Os sucos de uva também foram uma surpresa e, definitivamente, ganharão espaço na mesa dos brasileiros”, destaca o organizador do evento, Sérgio Queiróz.

Para o jurado Gilberto Pedrucci - enólogo e presidente do Sindicato da Indústria de Vinhos do Rio Grande do Sul (Sindivinho), a organização e seriedade da prova tem grande impacto no mercado de vinhos no Brasil -“A divulgação dos campões no Anuário Vinhos do Brasil 2016 será um referendum e um indicativo para o consumidor do que melhor existe do vinho brasileiro”, comenta Pedrucci.

“O evento é de grande magnitude e importância para revelar aos consumidores o grande potencial do vinho brasileiro, em especial a categoria Super Premium, o que mostra que o Brasil tem condições de se desenvolver neste mercado”, destacou o jurado Gilberto J. Carnieli, especialista em Vitivinicultura do LAREN, laboratório de referência enológica.


Conheça as categorias avaliadas:

1.    Espumante Brut branco Champenoise
2.    Espumante Brut branco Charmat
3.    Espumante Brut rosé Champenoise
4.    Espumante Brut rosé Charmat
5.    Espumante Extra-brut, Nature branco
6.    Espumante Extra-brut, Nature rosé
7.    Espumante Prosecco/Glera
8.    Espumante Moscatel branco
9.    Espumante Demi-sec, branco
10.    Espumante Moscatel e Demi-sec rosé
11.    Branco Chardonnay
12.    Branco Sauvignon Blanc
13.    Branco Moscato
14.    Branco de outras castas e cortes
15.    Rosés 
16.    Tinto Cabernet Sauvignon
17.    Tinto Merlot
18.    Tinto Tannat
19.    Tinto Pinot Noir
20.    Tinto Cabernet Franc
21.    Tinto Marselan
22.    Tinto Syrah
23.    Tinto de outras castas
24.    Cortes tintos
25.    Tintos Super Premium, R$ 100+ no varejo
26.    Doces e Fortificados
27.    Suco de uva integral
28.    Best Buy, bem pontuados até R$ 39,99 no varejo


Anuário Vinhos do Brasil 2016 é uma publicação bilíngue, editada em parceria entre o Grupo BACO o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), trazendo um panorama completo da indústria do vinho brasileira, das regiões produtoras, dos vinhos, do enoturismo,  sendo hoje a principal referência editorial do setor, seja no Brasil ou no exterior, onde é distribuído em mais de 100 postos e embaixadas pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE).


Fonte: Maria Luiza Paiva

Nenhum comentário:

Postar um comentário