sexta-feira, 15 de julho de 2016

Brasil tem mais de 200 espécies de peixes que podem desaparecer



Sucesso absoluto de bilheteria neste ano, o filme “Procurando Dory” despertou grande preocupação entre ambientalistas do mundo todo. O medo é de que o carisma do peixe protagonista despertasse uma enorme procura por sua espécie (cirurgião-patela), colocando sua existência em risco. Em 2003, de acordo com uma ONG australiana, esse fenômeno ocorreu com o peixe-palhaço, espécie do peixe Nemo, personagem do filme da mesma franquia. O assunto, porém, deve servir para chamar a atenção para um problema ainda maior, na opinião do Biólogo João Alberto dos Santos, membro do CRBio-01 – Conselho Regional de Biologia – 1ª Região (SP, MT e MS). 


É importante que haja mais consciência ambiental e maior rigor na fiscalização”, alerta o Biólogo.“Hoje, só no Brasil, existe uma lista com, aproximadamente, 240 espécies de peixes ameaçados de extinção. Acredita-se que desse total, 40 estão correndo sérios riscos de desaparecem de vez, se nada for feito para reverter esse quadro. Além da pesca ilegal para consumo humano, considerando que para determinadas espécies há épocas em que a prática é proibida, tem-se também o sério problema da perda de habitat. 

“Muitas espécies estão perdendo seu espaço natural por causa da ação dos homens, como o de construção de imóveis e também de rodovias, por exemplo, principalmente em regiões como a Mata Atlântica e estados litorâneas. Ações totalmente prejudiciais, que causam grande impacto a todo o ecossistema”, explica o biólogo.


De acordo com uma lista divulgada no ano passado pelo Ministério do Meio Ambiente, entre as espécies de peixes e invertebrados ameaçadas de extinção classificados na categoria CR – Criticamente em Perigo estão: cação-azeiteiro (Carcharhinus potosus), cação-mangona (Carcharias taurus), guaiamum (Cardisoma guanhumi), mero (Epinephelus itajara), cherne-poveiro (Polyprion americanos), tubarão-martelo-recortado (Sphyrna lewini) e tubarão-martelo (Sphyrna tiburo).


Fonte: Marco Berringer, Edmir Nogueira e Carla Italia

Nenhum comentário:

Postar um comentário