quarta-feira, 6 de julho de 2016

Sustentabilidade é a palavra da vez contra a crise econômica na Construção Civil


Por mais assustadora que possa parecer, uma crise econômica não surge do dia para a noite e ter medidas preventivas claras pode evitar grandes impactos decorrentes de um recesso na economia, além de um plano de contingência para reduzir os possíveis prejuízos.

Para Raphael Grigoletto, CEO da Cappini Incorporações e Negócios Inteligentes, um modelo de negócio sustentável é um grande aliado para a sobrevivência corporativa, inclusive no setor da Construção Civil, um dos segmentos mais abalados pelo atual cenário econômico do país.

A falta de projetos e empreendimentos acarreta na baixa contratação de mão de obra e compra de materiais, gerando uma reação em cadeia que atinge tanto os operários quanto os fornecedores, um cenário resultante da insegurança dos investidores e empresários.

Os pilares que mantêm um modelo empresarial sustentável são compostos pelo contínuo desenvolvimento das pessoas que integram a empresa, dos produtos ou serviços ofertados por ela, das finanças, da tecnologia e do marketing, sem comprometer a existência de um deles pela manutenção ou evolução de outro item.

Ou seja, ter uma administração sustentável não é compatível com a realização de demissões em massa para contornar crises financeiras. Grigoletto defende a flutuação salarial e a readequação da demanda de trabalho para manter os funcionários e ajustar o fluxo do caixa da empresa, trabalhando com uma administração transparente. 

Além de evitar um grande impacto econômico e social, esse tipo de negociação sustentável pode também ter outra conseqüência positiva: criar um laço de confiança entre os colaboradores e a empresa.

“Essa crise na macroeconomia, que reflete no setor de construção, deve ser encarada como uma grande oportunidade para ajustar e aumentar a eficiência nos processos de desenvolvimento imobiliário. Crises possibilitam a abertura de novas janelas mentais e parte das pessoas se posiciona de maneira mais desafiadora para criar novas soluções e inovar”, completa Raphael.

E a própria empresa criada por Grigoletto comprova a possibilidade de colocar essa teoria em prática. A Cappini Incorporações e Negócios Inteligentes foi estruturada para pensar e criar negócios e empreendimentos diferenciados, com a consciência de que é necessário implementar a sustentabilidade em todos os aspectos, buscando constantemente a união entre o meio público e privado, visando a evolução da sociedade. 

Um de seus principais diferenciais é a busca pela redução dos resíduos gerados pelo setor da construção civil. Hoje, a média é a de que até 30% de todo o material utilizado para construir um empreendimento é desperdiçado e a proposta da Cappini é a de reduzir essa quantidade em até 20%, em médio prazo.


Fonte:Tabata Mertz

Nenhum comentário:

Postar um comentário