segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Pesquisa mostra diferenças nos hábitos de férias em 28 países

Braço local da maior agência de viagens online do mundo (expedia.com.br), divulgou um estudo global conduzido pela Northstar sobre hábitos de férias de diferentes povos. Ao todo, foram entrevistadas mais de 9 mil pessoas em 28 países na América do Norte e Sul, Europa e Ásia – sendo 85% funcionários, empresários ou profissionais liberais com atividade remunerada em tempo integral.
Ao todo, 35% dos respondentes disseram não desfrutar todos os dias de descanso que lhe são concedidos anualmente. No Brasil a média é menor, chegando a 19%; o país fica atrás da Bélgica (18%) e Finlândia, com 6%. Já os japoneses e indianos são os que mais concordam com a afirmação, registrando 64% e 63%, respectivamente.

Além disso, em troca de um dia a mais em suas férias, os brasileiros abririam mão do consumo de bebidas alcoólicas (45%), redes sociais (44%) e televisão (45%). Apenas 6% deixariam de tomar banho e 14% não teriam relações sexuais. O quadro abaixo mostra a lista completa de atividades:

- Dias de descanso:

O Brasil e os países europeus são os que melhor reconhecem suas populações em relação ao direito de férias. O estudo constatou que 69% dos espanhóis recebem entre 21 e 30 dias de férias anualmente, sendo que 89% desfrutam de 16 dias no período. No Brasil os números são um pouco maiores, subindo para 74% a média dos que recebem entre 21 e 30 dias de descanso todo ano – sendo 84% deste montante os que desfrutam de todo o período concedido. Nos Emirados Árabes, 86% dos entrevistados afirmam tirar mais de 16 dias de férias por ano.

Os hábitos de férias na América do Norte se assemelham muito aos da Ásia: além de terem direito a menos dias de descanso por ano, os percentuais dos que de fato desfrutam o período também são menores em relação à América Latina e Europa. O estudo revelou que 55% dos sul-coreanos têm entre 11 a 20 dias de descanso ao ano, mas a maioria só goza de até 10 dias. No Japão essa média é um pouco mais alta: 37% tiram mais de 16 dias ao ano. Nos Estados Unidos, no entanto, mesmo com 32% da população entrevistada tendo direito a tirar entre 11 e 20 dias de férias remuneradas, 36% só aproveitam 10 dias por ano.


- Privação de férias é um estado de espírito

Apesar de terem 30 dias de férias garantidas por lei, 39% dos brasileiros se sentem um pouco privados por, muitas vezes, não conseguirem desfrutar de todos os seus dias, contra 29% dos americanos (que não chegam a ter direito a um período tão grande). Já na Espanha a situação é bastante diferente: 32% dos espanhóis não se sentem nem um pouco privados de suas férias, pois afirmam desfrutar dos dias a que tem direito. Na Coreia do Sul, por conta de um período curto de descanso (menos de 20 dias), 16% se sentem privados de férias.

Sentimento de culpa e preocupação são alguns fatores que fazem os trabalhadores desistirem ou repensarem em suas férias. Veja os principais motivos apontados pelos brasileiros:

• 38% não sentem que tem o apoio de seus superiores para desfrutar dos dias de férias;

• 19% se sentem um pouco culpados em sair de férias, mas tiram os dias, pois consideram um direito do trabalhador;

• 61% já cancelaram as férias por conta de alto volume de trabalho;

• Quando trocam de emprego, 59% preferem ficar 1 ano ou mais no novo trabalho antes de sair de férias

• 41% preferem trocar uma parte dos dias de férias por remuneração extra

Já os líderes americanos são reconhecidos como grandes apoiadores de seus funcionários quando o assunto é férias: 75% dos entrevistados dizem que seus empregadores são "solidários" em relação ao tema, em contraste com os gestores na Finlândia (29%) e na Espanha (37%).


- Hábitos de férias:

O estudo mostra que 44% dos entrevistados preferem não usufruir todos os dias de férias de uma vez, compondo um período mais longo com vários menores. Canadenses, austríacos e dinamarqueses seguem a mesma linha, com 35%, 34% e 67%, respectivamente. Na contramão desse movimento estão os que preferem gozar de apenas um período longo: Brasileiros (59%), Italianos (39%) e Emiradenses (50%).

Quando o assunto é estar ou viajar acompanhado durante as férias, os países seguem todos a mesma tendência: 76% dos brasileiros preferem viajar com mais uma ou duas pessoas, seguidos por 77% dos austríacos e 85% dos espanhóis. A média global (dos que preferem viajar com alguém, até duas pessoas) é 78%. Os escolhidos para estarem junto, são, em sua maioria, os cônjuges – na Itália, 80% responderam isso e na Espanha, 77%. Brasileiros e americanos preferem levar seus filhos, com 46% e 49% das opiniões respectivamente.

Já a principal motivação para pegar a estrada ou o avião, para 70% dos brasileiros e 78% dos italianos é conhecer algo novo, seguido por se desconectar do trabalho (72% dos Alemães e 73% dos Espanhóis) e ter uma experiência diferenciada com comida (67% dos moradores de Singapura e 62% dos Indianos).

Além disso, os brasileiros não desgrudam de tecnologias móveis nem durante o período de descanso, sendo a busca de informações sobre o destino visitado o principal motivo, com 69% das respostas. Posts de imagens nas redes sociais e reserva de atividades aparecem na sequência, com 66% e 42%, respectivamente.

Confira abaixo os principais sentimentos dos trabalhadores na volta ao trabalho:


Dias de férias por país :

País
Dias oferecidos
Dias tirados
Dias não utilizados
Alemanha
30
28
2
Australia
20
15
5
Austria
25
25
0
Bélgica
24
23
1
Brasil
30
30
0
Canadá
15
14
1
Coréia do Sul
15
8
7
Dinamarca
25
25
0
Emirados Árabes
30
30
0
Espanha
30
30
0
Estados Unidos
15
12
3
Finlandia
30
30
0
França
30
30
0
Holanda
25
22
3
Hong Kong
14
14
0
India
21
15
6
Irlanda
21
21
0
Italia
30
25
5
Japão
20
10
10
Malasia
16
12
4
México
15
12
3
Noruega
25
25
0
Nova Zelândia
20
19
1
Reino Unido
25
25
0
Singapura
18
14
4
Suécia
25
25
0
Suiã
25
25
0
Tailândia
15
12
3



Fonte: Thaís Domingues 




Nenhum comentário:

Postar um comentário