quinta-feira, 11 de maio de 2017

Natureza, aventura e contemplação na Travessia dos Lagos Andinos


Espalhada pelo norte da Patagônia, entre o Chile e a Argentina, a região dos Lagos Andinos é uma das mais cênicas do continente, com abundância de natureza e cenários surpreendentes, formados por montanhas e vulcões. 
A melhor forma de conhecê-la é através da famosa travessia que liga as cidades de Puerto Varas, no Chile, e Bariloche, na Argentina, cruzando a Cordilheira dos Andes por lagos e trechos de terra firme. 

O roteiro pode ser percorrido em um ou dois dias, com pernoite no charmoso vilarejo de Peulla, no Chile, que oferece boas opções para quem gosta de atividades ao ar livre, como caminhadas e passeios de caiaque. Foi o aventureiro suíço Ricardo Roth que, em 1913, cruzou pela primeira vez a região dos Lagos Andinos com o intuito de desbravar as terras patagônicas. De lá para cá, o roteiro se tornou um dos mais disputados na região e atrai turistas do mundo todo em busca de parques, lagos glaciais, rios, montanhas nevadas e vulcões. 


Entre os pontos altos da Travessia, cujo trajeto é feito por em sete etapas, de barco e ônibus, estão o Lago Esmeralda, que oferece uma vista incrível do vulcão adormecido Osorno, e as cachoeiras do Rio Petrohué, que possui quedas d’água em tom verde azulado saindo das rochas vulcânicas, ambos no Chile. Os lagos Frías e Nahuel Huapi são os destaques do lado argentino do trajeto. Embora o verão, entre outubro e abril, seja o melhor momento para realizar a Travessia dos Lagos Andinos, no inverno também é possível aproveitar o roteiro, que fica menos disputado. 

Além disso, é uma boa maneira de iniciar ou finalizar uma viagem de neve. A Descubra Turismo, operadora especializada em ecoturismo, oferece opções distintas para quem busca a Travessia dos Lagos Andinos como uma experiência imersiva na região.


Fonte: Daniel Ramirez 

Nenhum comentário:

Postar um comentário