segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Quer viajar? Não guarde o dinheiro que sobra


Guardar o dinheiro que sobra no final do mês é um pensamento comum, porém errado, que afasta a conquista dos sonhos, como viajar e conhecer novos lugares. É preciso guardar em primeiro lugar, assim que receber o salário, e readequar o padrão de vida.

Até hoje, a maioria aprendeu a fazer dessa forma: Ganhos (-) Despesas = Lucro/Prejuízo. O erro está em nem sequer colocar os sonhos nessa conta; então, proponho que, a partir de hoje, façam: Ganhos (-) Sonhos (-) Despesas. 


Veja 5 passos para montar esse novo orçamento financeiro:

1º – Sonhe:

Muita gente nem ao menos possui sonhos, por isso esse é o primeiro passo. Junte a família para um papo descontraído, estimulando todos a falarem sobre desejos, tanto individuais quanto coletivos.

Relacionem, no mínimo, três sonhos: um de curto prazo (a ser realizado em até um ano), um de médio prazo (entre um e dez anos) e outro de longo prazo (acima de dez anos). Quando se decide o que quer, quanto custa e quanto poderá poupar por mês para essa finalidade, fica mais fácil realizar.


2º – Poupe:

Separe o dinheiro para cada um dos sonhos logo que receber o salário, pois, se deixar para o final do mês, é certeza de que não sobrará – ou, se sobrar, pode acabar gastando.


3º – Pague as prestações:

O pagamento das prestações vem depois da poupança para os sonhos. Aqui são inclusas as prestações já adquiridas, como de cartões de crédito, carnês, crediários, financiamentos e empréstimos, por exemplo.


4º – Crie uma reserva estratégica:

É preciso poupar para uma reserva financeira, que irá preservar a poupança dos sonhos e o poder de pagamento das prestações, caso haja um imprevisto. Com ela, não precisará recorrer ao cheque especial ou cartão de crédito em uma emergência.


5º – Ajuste o padrão de vida:
Assim que reservar as quantias necessárias, adéque seu padrão de vida ao valor restante. Assim você estará priorizando as coisas certas.

Para tanto, tenha ciência de sua situação financeira fazendo um bom diagnóstico, sabendo exatamente para onde vai cada centavo do seu dinheiro. Assim saberá quais gastos pode reduzir ou eliminar.

Veja que é muito mais uma questão de mudança de comportamento do que de saber fazer contas ou ter que se privar de algo. Quando há metas bem definidas, poupar deixa de ser um martírio, e sim um estilo de vida que levará à mais realizações e satisfações.



Fonte: Reinaldo Domingos está a frente do canal Dinheiro à Vista. É Doutor em Educação Financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin ) e da DSOP Educação Financeira. Autor de diversos livros sobre o tema, como o best-seller Terapia Financeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário